Sexta-feira 29 de Novembro de 2019
Inicio / Noticias / Diocese quer saber como é a família de hoje no Algarve e qual a sua vivência de fé

Diocese quer saber como é a família de hoje no Algarve e qual a sua vivência de fé

O estudo da realidade da Família na diocese algarvia é o tema proposto para reflexão da próxima assembleia plenária do CPDA, que terá lugar na Casa de Retiros de Nossa Senhora do Rosário, em São Lourenço do Palmeiral (Pêra), no próximo sábado dia 25 de Novembro. Pretende a Igreja algarvia que os trabalhos daquele seu órgão consultivo constituam mais uma colaboração na análise da realidade das paróquias e do meio envolvente que se quer levar a cabo no presente ano pastoral. Centrados na temática “Família que temos hoje no Algarve e a sua vivência da fé”, os trabalhos dos conselheiros irão decorrer com base em três documentos, ou parte deles. O primeiro texto a merecer a reflexão do CPDA é o segundo ponto das orientações para a catequese actual, da autoria da Conferência Episcopal Portuguesa, datado de 23 de Junho de 2005, que se refere à “Catequese e transmissão da Fé”; o segundo documento é a Nota Pastoral da Comissão Episcopal da Educação Cristã para a Semana Nacional de Educação Cristã, que decorreu em Outubro último; e o último dos documentos em análise será a primeira catequese para o Encontro Mundial das Famílias em Valência que decorreu em Julho deste ano, sobre “A Família, primeira e principal transmissora da fé”. Neste enquadramento, os conselheiros irão procurar perceber quais as repercussões dos actuais condicionamentos sobre as famílias, quer sejam de nível económico, político, cultural ou religioso. Procurarão entender como se define a estabilidade das famílias e qual a mentalidade dominante em relação a diversos aspectos como a finalidade e função da família, o divórcio, o aborto, a infidelidade conjugal, as relações pré-matrimoniais, o tipo de relação existente entre pais e filhos, marido e mulher ou avós e netos. O CPDA procurará ainda reflectir sobre o papel do homem e da mulher dentro e fora da família e sobre o papel da religião na vida familiar, bem como quais as suas expressões concretas no seio da família. A oração em família, a prática dos valores religiosos, a catequese e transmissão da fé e os diversos intervenientes são outros dos aspectos alvo de análise. Por fim, os conselheiros, tendo em conta a observação feita, que deverá não ter apenas em conta os problemas mas os aspectos positivos, procurará apresentar sugestões concretas e exequíveis de acções pastorais a realizar na diocese do Algarve. À FOLHA DO DOMINGO, o Bispo do Algarve adiantou que a diocese algarvia espera, nos próximos anos, “abordar as outras duas áreas das Vocações e da Caridade, sempre nesta assembleia plenária de Novembro que não tem uma finalidade tão marcadamente programática”. Segundo D. Manuel Neto Quintas, haverá ainda oportunidade na reunião do CPDA de sábado de “analisar quais têm sido as principais dificuldades na implementação do Programa de Pastoral”.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …