Inicio / Noticias / Diocese tem respondido ao apelo de rezar pelas vocações consagradas

Diocese tem respondido ao apelo de rezar pelas vocações consagradas

Este movimento de adoração contínua ao Santíssimo Sacramento teve início no passado dia 31 de Outubro com uma Vigília de Oração na igreja matriz de Portimão e tem vindo a prolongar-se, durante 15 dias, até terminar amanhã, dia 13 de Novembro, sendo encerrado com uma outra Vigília de Oração em Faro, que terá início na igreja matriz de São Pedro, terminando depois na Sé Catedral.No decorrer destes dias, as comunidades paroquiais das seis vigararias têm-se comprometido, segundo o calendário previsto, em assegurar uma autêntica cadeia de oração ininterrupta em torno das vocações de especial consagração, particularmente as vocações ao sacerdócio.A diocese tem procurado então responder, – conforme pedia o Bispo diocesano, D. Manuel Neto Quintas, na sua Nota Pastoral para a Semana dos Seminários, – «ao apelo lançado pelo Papa» de que «é urgente promover um grande movimento de oração que atravesse as comunidades eclesiais, porque as novas condições históricas e culturais exigem que a pastoral das vocações seja vista como um dos objectivos primários de toda a comunidade cristã». Durante horas atrás de horas, a “oração para que o Senhor mande trabalhadores para a sua messe” tem passado de “mão em mão” como testemunho partilhado de paróquia para paróquia, de grupo para movimento, de movimento para comunidade religiosa, de cristão para cristão… De Aljezur a Alcoutim, de Sagres a Vila Real de Santo António, em plena serra, barrocal ou litoral, muitos têm sido os que, não querendo ficar de fora, se têm associado a este movimento diocesano.As paróquias do Algarve têm sido assim mobilizadas, conforme desejo do Prelado diocesano manifestado no documento atrás referido, a aproveitarem esta iniciativa para iniciarem no seu seio, «em comunhão com toda a Igreja na celebração do Ano Eucarístico», o hábito de realizarem adoração Eucarística pelas vocações de consagração com periodicidade mensal ou mesmo semanal. Na “abertura” desta quinzena destinada ao Seminário Diocesano, a igreja matriz de Portimão foi pequena para acolher todos quantos quizeram estar presentes na Vigília de Oração. Sob a presidência de D. Manuel Neto Quintas, a celebração contou também com a presença de inúmeros sacerdotes do Barlavento algarvio, sendo de registar uma participação significativa das comunidades paroquiais das vigararias de Lagos e Portimão, particularmente de jovens.Depois da celebração que alguns dos presentes testemunharam como «um momento fortemente interpelador, diante do Senhor, presente na Eucaristia», as três comunidades paroquiais da cidade de Portimão asseguraram a oração diante do Santíssimo Sacramento até às 8 horas do dia 1 de Novembro, tendo o movimento orante seguido para a paróquia de São Bartolomeu de Messines.Agora, praticamente chegados ao fim deste Lausperene Diocesano, os cristãos algarvios, particularmente os do Sotavento algarvio, são chamados a seguir o exemplo da celebração de abertura e a participar amanhã, em peso, na Vigilia que marcará o encerramento destes quinze dias de oração pelo Seminário Diocesano.A Vigília de encerramento, organizada em colaboração com o Sector Diocesano da Pastoral Juvenil, terá o mesmo título da celebração de abertura – “Fazei isto…” –, será iniciada com uma procissão Eucarística e privilegiará igualmente momentos de silêncio e adoração, mas também de canto, simbologia e testemunhos.Testemunho das comunidades da Zona Pastoral de Aljezur e BensafrimAs nossas comunidades cristãs aderiram com grande generosidade a esta iniciativa da nossa Diocese. Assim que o Pe. Campôa anunciou o horário, de imediato os nossos leigos se disponibilizaram para “perderem” praticamente duas noites de sono, e “ganharem” duas noites de oração profunda.Em todas as comunidades acompanharam constantemente em oração o Santíssimo Sacramento, cerca de trinta pessoas.Foi surpreendente verificar que apesar de estarmos num meio rural, o­nde à hora prevista chovia, fazia nevoeiro e frio os nossos leigos saíram do aconchego de suas casas e deslocaram-se para a Igreja numa hora menos própria para se andar na rua!No final das orações as pessoas estavam felizes, porque se uniram a toda a Diocese nesta oração contínua e mostraram a sua preocupação pela vocação sacerdotal no Algarve.Deram graças a Deus por ainda terem um sacerdote a tempo inteiro nas suas comunidades, mas conscientes que nesta escassez de vocações será precisamente o interior algarvio o primeiro a ressentir-se desta realidade, pediram fervorosamente ao Pai que ilumine os nossos jovens e lhes dê um coração generoso para uma entrega mais radical à Igreja e a Jesus Cristo.João Cabral – Aljezur

Verifique também

Cristãos, judeus e islâmicos debateram a multiculturalidade no Algarve

Após a intervenção de Sara Ferreira, antropóloga, sobre a questão da multiculturalidade, Ralf Pinto, director …