As suas homilias dominicais são sempre apresentadas através de projecção animada, uma iniciativa que começou na Eucaristia das crianças, pois quando chegou à Guia ficou “chocado por não haver uma criança na celebração”. “Precisei de catequizar primeiro os catequistas, fazendo-lhes ver que ensino catequético sem prática de vida religiosa não tem sentido e agora, com a ajuda também das projecções, tenho já várias crianças na missa”, refere. No entanto, esclarece o padre Manuel Condeço, houve igualmente adultos que lhe comunicaram que “assim compreendiam melhor a mensagem” e a experiência alargou-se às restantes Eucaristias. Classifica-se como “autodidacta” e explica que o gosto pela informática adquiri-o enquanto trabalhou na escola. Mesmo nas catequeses de adultos e de jovens ou nas orações da comunidade utiliza a tecnologia informática porque diz: “ajuda a interiorizar e as pessoas já sentem necessidade”. Os leigos de ambas as paróquias concordam que as projecções vieram ajudar à sua formação.