Em contrapartida, outras escolas houve, que não tendo alunos inscritos em EMRC nos últimos anos, este ano voltaram a receber matriculas com opção pela disciplina. Foram os casos da EB 2.3 D. João II de Alvor, da Secundária Tomás de Cabreira, em Faro, e da Secundária Poeta António Aleixo, em Portimão. A professora Edite Azinheira, directora do Secretariado Diocesano do Ensino da Igreja nas Escolas (SDEIE), explica que no caso do 2º e 3º ciclos os alunos de EMRC têm aumentado ligeiramente com reflexo no acréscimo dos horários da disciplina naquele sector do ensino. Em contraste encontra-se o panorama no ensino secundário, onde a descida no número de inscritos “tem sido acentuada”, assegura a mesma fonte. A responsável do SDEIE explica que “há casos de turmas que escolheram durante cinco anos EMRC e no secundário os mesmos alunos optaram por não escolher” a leccionação da disciplina. De acordo com Edite Azinheira para esta realidade tem contribuído o facto de as aulas terem passado para 90 minutos, sendo que “os alunos não se querem sujeitar” a estar mais esse tempo na escola, uma vez que a disciplina é normalmente colocada no extremo da carga horária. Por outro lado, aquela docente alerta ainda para uma outra dificuldade decorrente do facto de os Cursos de Educação e Formação (CEF) ou de as turmas de currículos alternativos não terem a disciplina como opção. Este ano lectivo de 2008/2009 estão 44 professores a leccionar a disciplina de EMRC no Algarve, distribuídos pelos sectores de ensino do 2º e 3º ciclos e secundário.