Um desses casos foi o da sua mulher, a condutora do veículo, a chefe Aida Quintão, de 35 anos, que foi transferida para o Hospital de São José, em Lisboa, a fim de ser intervencionada a uma lesão na coluna vertebral. Também Tatiana Brito, de 12 anos, rumou à mesma unidade hospitalar da capital para ser operada ao maxilar inferior. De acordo com chefe do Agrupamento de Ferragudo, “não há previsão para a recuperação” de ambas as escuteiras, uma vez que a mesma “vai seguir o ritmo de cada caso”. Recorde-se que a carrinha onde seguiam os membros dos dois grupos de escutas despistou-se na Via do Infante (A22), junto ao Nó de Boliqueime, no sentido Portimão/Faro, tendo capotado, alegadamente devido a um rebentamento de um pneu. O grupo de escutas seguia para o último módulo de um curso de guias, em Alcoutim, onde participavam chefes de secção e exploradores de vários agrupamentos do Algarve, actividade que foi cancelada. Entretanto, a Câmara de Lagoa aprovou a atribuição de 10 mil euros ao Agrupamento de Ferragudo por forma contribuir na aquisição de uma nova carrinha, uma vez que a acidentada ficou completamente destruída.