No entanto, o responsável não perspectiva qualquer possibilidade de construção de um novo equipamento, mas mostra-se esperançado que a mudança da GNR para o novo posto em Armação de Pêra, possa resultar na cedência das actuais instalações aos escutas. Aquele responsável testemunha ainda que à excepção das quarta secção todo o agrupamento está de boa saúde, referindo-se à saída dos jovens da paróquia para estudar. “Esse é um problema generalizado no movimento a nível regional”, constata. Jorge Correia lembra ainda que na coordenação com o horário da catequese tem havido algumas dificuldades, mas que agora o problema está praticamente resolvido. O próprio pároco reconhece o trabalho do agrupamento no sector infantil. “Dinamiza muito as crianças, mas pouco a paróquia”, considera o padre Manuel Coelho.