Segunda-feira 14 de Outubro de 2019
Inicio / Noticias / Espiritualidade de Taizé viveu-se em Aljezur

Espiritualidade de Taizé viveu-se em Aljezur

Os jovens oriundos das paróquias de Bensafrim, Espiche, Estoi, Ferreiras, Luz de Lagos, Monchique, Quarteira, Quelfes, São Bartolomeu de Messines, São Clemente e São Sebastião de Loulé, São Luís de Faro e de Tavira, foram acolhidos pelos anfritiães de Aljezur, no Largo da Igreja Nova e, de seguida, dirigiram-se para o salão da Santa Casa da Misericórdia, o­nde reflectiram durante a tarde com o irmão David. Após o jantar oferecido pelas famílias de Aljezur, que decorreu no salão dos Bombeiros, os jovens, idosos e crianças, deslocaram-se então para a igreja paroquial, pequena para acolher as cerca de 400 pessoas, o­nde teve lugar a oração com cânticos, próprios da espiritualidade de Taizé. O Bispo do Algarve, apesar de ausente em Braga nas Semanas Sociais Portuguesas, quis marcar presença. … A nossa Igreja diocesana precisa do vosso testemunho jovem, do vosso entusiasmo por Cristo. Ao percorrerdes o rasto de esperança, aberto pelo imão Roger e pela comunidade de Taizé, contribuireis para construir um mundo mais acolhedor e mais fraterno, porque iluminado por Cristo e integrador de todas as diferenças…, leu-se na mensagem que D. Manuel Quintas fez questão de dirigir aos presentes. Durante uma hora e meia os cristãos católicos, mas também os cristãos evangélicos de Aljezur viveram momentos profundos, mas simples de oração à maneira de Taizé. O momento alto da noite aconteceu com o gesto de adoração da cruz, depositada no chão. Todos aproximando-se, ajoelharam-se e colocaram a cabeça sobre o ícone de Jesus crucificado. Alguns dos jovens foram acolhidos nas familias locais e, após o pequeno-almoço, participaram na Eucaristia paroquial e terminaram o encontro com o almoço, oferecido pela Câmara Municipal de Aljezur, no salão dos Bombeiros. João Cabral, o organizador da iniciativa, mostrava-se contente no final do encontro. “Hoje todos nos sentimos felizes com este encontro, que serviu para nos encontrarmos com outros jovens da diocese, mas acredito que tivesse sido a Oração a marcar-nos a todos”, disse, acrescentando: “Como dizia o sr. Bispo é preciso levar este espírito de Taizé às nossas comunidades paroquias, este espírito de muita simplicidade, humildade e alegria”.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …