Com o Bispo concelebraram os Padres Rui Barros, Joaquim José Nunes, António Coelho e Frei Mário Barbosa (O.F.M.), sendo ainda feita uma dedicação especial pelos jovens que participavam em Quelfes, nos «Convívios Fraternos». Esta celebração vespertina é a que congrega, após uma Semana de Doutrina, as crianças da Paróquia de Nossa Senhora da Assunção (Sé de Faro), facto que foi escolhido por D. Manuel pelo seu significado e sentidos próprios para na mesma a Diocese dar graças ao Senhor pelo sucessor de João Paulo II. Após a leitura do Evangelho, feita pelo Padre Joaquim José Nunes, o Bispo do Algarve, à homília, num tom dialogante, expositivo e interpelativo, de modo próprio às dezenas de crianças presentes, referiu-se ao sentido do texto do Apóstolo São João, com um realce evidente para o testemunho de Jesus Cristo: «Eu sou o caminho, a verdade e a vida». Afirmou de modo próprio: «Para sermos amigos de Jesus temos que percorrer o Seu caminho, acertar o passo e o ritmo do coração com Jesus e assumir a nossa vida como Jesus viveu — com amor, perdão e acolhimento». Sobre Bento XVI apontou que: «O Papa escolhido para ser sucessor de João Paulo II e do Apóstolo Pedro, foi-o para ajudar toda a Igreja a seguir Jesus, a amar como Jesus amou e a perdoar como Jesus perdoou. Importa que, em comunhão com a Igreja Universal, respondermos ao seu pedido — preciso das vossas orações. Destacando a figura do novo Pontífice destacou, de modo próprio, a sua acção nos últimos 24 anos junto de João Paulo II, de quem considerou o «seu braço direito» e «a quem muito apoiou e ajudou na sua missão pontifícia». Focou em seguida D. Manuel «os juízos nada abonatórios mais baseados em preconceitos do que em relação á pessoa do novo Papa e mais baseados na difícil missão que lhe estava confiada», terminando por pedir: «Louvemos o Senhor pelo dom deste Papa que nos deu e rezemos sempre por ele. Este é o Papa que a Igreja precisa neste tempo».