Embora tendo o dia amanhecido muito pouco acolhedor, com muita chuva e vento, as comunidades visitadas procuraram inverter essa ambiência, proporcionando ao Bispo diocesano uma recepção calorosa ainda à porta das respectivas igrejas paroquiais. Já no interior dos templos, D. Manuel Neto Quintas fez questão de esclarecer, antes das Eucaristias que deram início à visita pastoral nas respectivas comunidades, as finalidades daquela iniciativa. “Faz parte da minha missão como Bispo realizar estas visitas”, começou por referir o Bispo do Algarve, explicando que “a Igreja impõe aos Bispos que visitem as paróquias com relativa frequência, de uma maneira prolongada, para que ambos se conheçam mutuamente”. “Eu preciso de vos conhecer a vós e vós a mim, porque conhecendo-nos melhor, rezamos melhor uns pelos outros, sentimo-nos mais próximos, e vivemos melhor a nossa condição de irmãos na Igreja”, justificou o Prelado, sublinhando a importância da proximidade aos diocesanos na realização da sua missão. “Quanto mais próximo vós me sentirdes e eu me sentir próximo de vós, mais realizo a minha missão como Bispo e pastor desta Igreja diocesana”, salientou. D. Manuel Quintas explicou ainda que faz parte da sua missão como Bispo animar, na fé, as pessoas, “sobretudo os que andam desanimados”. “A minha passagem pelas paróquias tem o sentido de vos dizer que sei que não é fácil viver, testemunhar e celebrar a nossa fé com fidelidade, mas devemos sentir a necessidade de nos encontrarmos para celebrar o dia do Senhor, escutarmos a sua Palavra e nos sentirmos mais fortes na fé. Estou aqui para vos ajudar a dar alma à vossa vida de fé, estimular-vos, apoiar-vos e amparar-vos na fé e para avivar em vós a presença de Cristo, Ele que é o nosso verdadeiro Pastor”, complementou o Bispo diocesano. Mas D. Manuel Quintas lembrou ainda aos presentes que também precisa da sua oração e estímulo na fé. “Apesar das dificuldades, eu encontro força na vossa força e também vós me animais na fé a mim. Este conhecimento e animação mutua na mesma fé deve levar-nos a predispor-nos para o anúncio e testemunho da mesma fé”, afirmou ainda o Bispo do Algarve, exortando a “que a passagem do Bispo sirva para cada um perceber como é que está a viver, a testemunhar e a anunciar a sua fé”. O pároco, padre Manuel Coelho pediu ainda aos paroquianos para estarem presentes nas celebrações o­nde estiver o Bispo diocesano, “para que na sua despedida, vá contente porque conheceu melhor as comunidades”. À FOLHA DO DOMINGO, o sacerdote disse esperar que esta visita pastoral sirva para um arranque, com nova vitalidade, nas duas comunidades e para a revitalização do Conselho Pastoral Paroquial de Alcantarilha. Dia 27, o Bispo do Algarve pela manhã visitará, em Alcantarilha, a Junta de Freguesia, o Centro de Saúde, o Mercado e a Escola EB 1, o­nde almoçará com alunos e professores. À tarde visita as igrejas da Misericórdia, Nossa Senhora do Carmo e São Sebastião. Pelas 18 horas preside à celebração da Eucaristia e uma hora depois inaugura as obras na igreja de São Francisco (Pêra) e à noite encontra-se com grupos bíblicos de oração, de limpeza e sócio-caritativos em Alcantarilha. Sábado encontra-se com os pais e crianças da catequese, de manhã em Pêra e à tarde, em Alcantarilha. Depois visitará o Agrupamento do CNE de Alcantarilha e, pelas 18 horas, encontrar-se-á com os jovens e adultos das duas paróquias em preparação para o Crisma. À noite preside à celebração de início do Lausperene Diocesano. No domingo, o encerramento da visita pastoral terá lugar nas Eucaristias, em São Lourenço do Palmeiral, às 9.30 horas, em Pêra, às 11 horas, e em Alcantarilha às 12.15 horas, seguindo-se um almoço partilhado em Alcantarilha.