Pela exposição passaram cerca de 5.100 pessoas, com destaque para a participação nos eventos de animação que envolveram cerca de 1200 pessoas, dos quais é de salientar a Lectio Divina com 360 presenças nos 4 dias. As iniciativas para as crianças tiveram uma participação de 90 elementos das paróquias da cidade e algumas de outras comunidades como Vila do Bispo, Sagres e Raposeira. Também a tarde dedicada aos idosos teve uma participação de 150 pessoas. Na sessão de encerramento, que foi abrilhantada pela participação do grupo Laudate, o vigário geral para a pastoral da diocese do Algarve explicou a finalidade do acontecimento. “O objectivo foi trazer a Bíblia à nossa vida e levar a nossa vida até à Bíblia. Por isso o projecto continua”, advertiu o cónego José Pedro Martins. “É preciso que a Bíblia não fique nas nossas estantes, mas que seja o livro onde está a história da nossa vida. É para continuarmos a ler nela a nossa própria realidade. Por isso não encerramos um evento. Abrimos perspectivas futuras e novas para as nossas comunidades e para as pessoas que por aqui passaram”, frisou, considerando o acontecimento “marcante para a diocese”. Deixando uma palavra de estímulo aos muitos que assistiram ao encerramento o sacerdote interpelou-os a dar continuidade àquela iniciativa. “Não podemos criar os braços perante o desafio que esta exposição fez a esta cidade e a nós mesmos. Nas nossas comunidades iremos reflectir. Muita coisa já está a ser feita nesse sentido”, lembrou. Também Timóteo Cavaco, secretário-geral da Sociedade Bíblica de Portugal, entidade organizadora, considerou a realização em Portimão “uma boa jornada, sobretudo ao nível da reflexão”. “Este é um dia que deverá lançar novas ideias e iniciativas sempre à volta deste livro central na fé cristã”, destacou, estimulando à continuidade daquela acção como o tinha feito o interveniente que o antecedeu. O Bispo do Algarve alinhou pelo mesmo discurso, salientando que “foi muito bom estar em festa com a Bíblia ao longo destes dias”. “Espero que continue a ser bom continuarmos em festa com a Palavra de Deus ao longo de toda a nossa vida”, desejou D. Manuel Quintas, apelando aos presentes a que se deixem envolver mais pela Palavra de Deus, ou seja, a Bíblia. “A Palavra de Deus precisa de um coração disponível, aberto, para poder «germinar» e «frutificar»”, lembrou o Bispo diocesano, apelando aos cristãos algarvios que fundamentem mais a sua fé na Palavra de Deus. Antes da actuação do grupo convidado, foi ainda lido um pequeno excerto da Bíblia nas 3 línguas pelas quais foi escrita até chegar ao português. Mais fotos na Galeria de Imagens