Após o acolhimento, seguiu-se a oração da manhã, já no ginásio, presidida pelo Bispo do Algarve que esteve presente durante quase toda a Jornada Diocesana da Juventude (JDJ). Logo a iniciar o dia, D. Manuel Quintas lançou o repto, começando por apelar aos participantes que vivessem intensamente o Dia Diocesano da Juventude. Após a apresentação das mais de 30 paróquias algarvias presentes e do programa do dia, feita pelo padre Carlos de Aquino, assistente do Sector da Pastoral Juvenil da diocese do Algarve, entidade que organizou a iniciativa, coube ao padre Carlos César Chantre, a intervenção da manhã com base na mensagem do Papa para a XXIII Jornada Mundial da Juventude. O sacerdote algarvio alertou os jovens para o “deserto espiritual” que vai surgir dentro de 20 a 50 anos na Europa e lamentou que a sua geração tenha cometido o erro de tratar Jesus Cristo como “uma qualquer figura da história”. O sacerdote considerou ainda que “existem já sinais de perda de força da civilização cristã na Europa”. No entanto, deixou claro que “o Cristianismo não é uma civilização, mas uma vivência pessoal e familiar a uma pessoa: Jesus de Nazaré”. “Ao menos, os jovens que se dizem cristãos têm de aprender a aderir, conhecer e amar Jesus de Nazaré e defendê-lo até às últimas consequências”, complementou, manifestando esperança na actual geração de jovens. “É esta pequenina parte da juventude algarvia que pode vir a ser luz para a outra parte. E o Bispo do Algarve tem de contar convosco para este trabalho gigantesco”, afirmou. Lamentando a existência de forças na sociedade que pretendem anular a cultura cristã, o sacerdote apelou à união da juventude. “Estas jornadas servem para reforçar aos jovens do mundo inteiro que estejam unidos para que assim possamos vencer esta «luta» que parece desigual”, referiu, lembrando aos jovens que “Deus só se torna presente se seu o Espírito penetrar no coração” de cada um. Baseando a sua intervenção no documento pontifício referido, cujo tema deste ano faz referência ao Espírito Santo e à missão, o sacerdote explicou aos jovens cristãos algarvios que a missão da sua geração “é ajudar a que o Algarve regresse a Jesus Cristo”. “No fim deste dia têm de assumir esse compromisso: a vossa missão é tornar a Igreja presente no meio da juventude”, concluiu. Após a primeira reflexão do dia, os jovens foram convidados a formar grupos com vista à partilha de experiências diferentes, inter-relacionamento e convívio. Enquanto os jovens cumpriam o programa previsto, os 65 animadores e responsáveis que acompanharam os grupos à JDJ participavam na formação que lhes estava destinada. Orientados pela equipa de salesianos, composta pelo padre Rui Alberto e por Sérgio Lopes, os responsáveis dos grupos paroquiais foram sensibilizados para a necessidade de um itinerário após os 10 anos de catequese de iniciação. Os dois membros das edições salesianas fizeram a apresentação do GPS, um projecto que pretende dar continuidade à iniciação cristã com um itinerário de fé, e abordaram aspectos fundamentais para quem quer trabalhar com jovens. O Bispo do Algarve que presidiu à celebração da Eucaristia que se seguiu, voltando a reunir no mesmo espaço todos os participantes da jornada, sublinhou a importância da acção do Espírito Santo. “A acção do Espírito Santo é essencial na nossa vida e na realização da missão da Igreja”, frisou. Confessando sentir os jovens “muito próximo” de si e manifestando vontade de se sentir também perto dos jovens, D. Manuel Quintas lembrou que Deus criou o homem para ser feliz e que tal só pode acontecer se houver abertura à acção do Espírito. Por outro lado, o Bispo diocesano sublinhou que “os dons que o Espírito dá não são para proveito próprio, mas para colocar ao serviço de todos”, interpelando os jovens sobre a sua identidade como baptizados. “Deveis qualificar a vossa vida com o amor fraterno que vos deve levar a ser sinal de Cristo para os vossos colegas”, apelou, incentivando os presentes a conhecerem Jesus em profundidade. A terminar, lançou novo apelo aos jovens algarvios, para que se interroguem se Jesus não os chama a servi-l’O “de uma maneira mais plena” como sacerdotes, consagradas ou consagrados. “Cristo conta convosco. A nossa Igreja diocesana e eu, como Bispo diocesano, conto convosco, para que a nossa Igreja seja cada vez mais aberta ao dinamismo do Espírito”, concluiu. Depois do almoço, os jovens voltaram ao ginásio para apresentarem, sob a forma de projecção, expressão artística, poética ou corporal, o resultado do trabalho pedido pela organização realizado com base na reflexão da mensagem do Papa. Antes, o Bispo do Algarve, dirigindo-se aos jovens, com base no número 7 da mensagem do Papa, pediu-lhes que, acolhendo o Espírito Santo, fossem eles a anunciar Cristo aos colegas. O dia encerrou com uma Festa Jovem protagonizada pelo concerto do grupo Laudate, diante da escadaria do palácio do colégio diocesano. Como sinal visível do compromisso assumido pelos participantes com a Igreja ao longo do dia, resultou a quantia de cerca de 500 euros, fruto da renúncia quaresmal dos participantes para com a paróquia de Nossa Senhora do Rosário, da diocese de Viana (Angola), a favor da qual revertem este ano as renúncias quaresmais algarvias. Mais fotos na Galeria de Imagens