Segundo o assistente do CDA, padre Carlos de Aquino, «os objectivos destes encontros vicariais de acólitos foram três: fomentar o encontro e a aproximação entre os vários acólitos da diocese, promover a formação de todos os acólitos e levar aqueles agentes de pastoral a entender que o serviço que prestam à Igreja é um serviço ministerial importante no campo da liturgia, devendo eles corresponder a esse serviço numa perspectiva vocacional». Destas iniciativas, o sacerdote concluiu que «importa dar uma atenção especial nos próximos tempos» à formação dos jovens que servem ao altar, pois «notou-se, nestes encontros, que é um enorme desafio ainda não concretizado plenamente». Os três encontros vicariais de acólitos foram realizados a 19 de Fevereiro, 5 e 12 de Março, respectivamente em Tavira, na igreja de São Brás, em Faro, no salão paroquial de São Luís e em Ferragudo, no Centro Pastoral e Social da diocese algarvia. O primeiro, para a vigararia de Tavira, contou com a participação de cerca de 40 acólitos, o segundo, para as vigararias de Faro e Loulé/São Brás de Alportel, contou com cerca de 20 presenças e, no terceiro, para as vigararias de Albufeira, Portimão e Lagos, participaram 60 jovens acólitos. O programa, comum aos três encontros, teve início com a oração da manhã e constou da apresentação, aos participantes, do tema “Ministério do acólito, um serviço”. Após a apresentação da temática, feita pelo assistente do CDA, os jovens acólitos dividiram-se por grupos para trabalhar, com base no tema apresentado, na preparação de uma Eucaristia solene e de uma Eucaristia não solene. Antes da apresentação dos trabalhos, preencheram ainda uma ficha para auscultação das necessidades de reais de formação de cada um e, depois de partilharem o resultado dos trabalhos colectivos, foram esclarecidos sobre as dificuldades que os mesmos lhes suscitaram, tendo os encontros terminado com uma oração final.