A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima foi trazida da paróquia de Bensafrim por muitas pessoas, particularmente muitas crianças e também jovens, que fizeram questão acompanhar, juntamente com o pároco, o padre Ramiro Ferreira, a entrega à comunidade de Santa Maria de Lagos. Transportado em ombros por membros do núcleo de Lagos da Associação de Pára-quedistas do Algarve, o andor, percorreu o trajecto entre a bomba de gasolina, no Largo da Porta de Portugal e a Avenida das Comunidades Portuguesas, junto ao quartel dos Bombeiros. A abrir caminho para o cortejo vinham motards do Moto Clube de Lagos, seguidos do Agrupamento 173 de Lagos do Corpo Nacional de Escutas, de catequistas e crianças da catequese paroquial de Bensafrim, acompanhadas pelos párocos das duas comunidades paroquiais, dos Bombeiros Voluntários de Lagos e por uma imensa multidão que acompanhou a imagem peregrina. Cerca das 17.20 horas, o andor deteve-se junto à estátua do Infante D. Henrique, onde aguardavam muitas crianças da catequese da paróquia de Santa Maria, acompanhadas por muitos adultos e jovens. Naquela praça, o padre Ramiro Ferreira, exortou a multidão a seguir Cristo. “Não somos só humanos, também somos divinos. Apesar da nossa fragilidade e do nosso pecado há sementes divinas dentro de nós e essas sementes divinas querem crescer e dar fruto. É isto que pedimos hoje a Maria, ela que soube acolher a semente divina no seu seio e soube colaborar, com uma disponibilidade total, para que o Verbo se fizesse carne e viesse habitar entre nós”, frisou o pároco de Bensafrim, pedindo a cada um dos presentes que seja uma “presença viva de Jesus Cristo”. “Que esta visita nos torne mais conscientes da nossa vocação de cristãos, verdadeiros filhos de Deus, seus seguidores”, apelou, pedindo à Virgem Maria que interceda junto do seu Filho, por todos, particularmente “pelos que sofrem nos hospitais, nas cadeias ou em qualquer outra situação”. “Mãe de Deus rogai por nós e pela humanidade para que haja a Paz, mas fundamentada na justiça, na igualdade e na fraternidade”, concluiu. O padre Abílio Almeida, pároco de Santa Maria, dirigiu igualmente uma palavra aos presentes, interpelando-os a “aprender a acolher e a cumprir” os ensinamentos de Jesus. Aproveitando a ocasião, o sacerdote informou que todo o dinheiro angariado no decorrer da estadia da imagem de Nossa Senhora de Fátima será para a construção do Lar da Mãe. “Estamos a acolher as mães solteiras nas instalações da Caritas Diocesana, em Faro, que são instalações muito precárias. É necessário construir algo mais digno porque as mães solteiras também precisam de um espaço digno para acolher os seus filhos”, incitou, advertindo: “ai de nós se nos satisfazemos apenas com esta Mãe peregrina, que também não teve um lugar digno para o nascimento do seu Filho, e não acolhemos as mães solteiras peregrinas que precisam da nossa ajuda”. Já no interior da igreja de Santa Maria, para onde seguiu o cortejo, deu-se início à Eucaristia, presidida pelo pároco local, depois da fila quase interminável de crianças terminarem a oferta de rosas brancas a Maria. O padre José Manuel Pacheco, que proferiu a homilia, lembrou as palavras de Isabel, aquando da visita da prima Maria de Nazaré: “de onde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?”. O sacerdote aproveitou a interrogação para explicar o objectivo da visita da imagem peregrina. “É a Mãe que vem dizer aos filhos que venham ter com o Filho Jesus”, afirmou, garantindo que “o que Maria quer é que amemos Jesus e o recado que traz é: Fazei o que Ele vos disser”. “Não é ela a deusa, nem a primeira. Ela está aqui por causa de Jesus”, complementou, reforçando o apelo do pároco local que momentos antes tinha apelado à purificação da devoção a Nossa Senhora. “Nós endeusamos o Deus de Jesus Cristo. Maria tem o seu lugar”, explicou, considerando que “Nossa Senhora veio a Lagos para que os filhos que andam afastados, dispersos e esquecidos de Deus e da Mãe venham à igreja”. “Maria quer que nos convertamos a Jesus”, sublinhou. Na certeza de que “Lagos vai mudar”, o sacerdote testemunhou que “algumas das comunidades que já tiveram Maria têm neste momento mais leitores, mais casais e mais cantores”. “Na Luz de Lagos e em Budens um grupo de casais está a nascer, pessoas afastadas estão a voltar e na Eucaristia, durante a semana, a participação passou de 2 para 12 pessoas”, concretizou, manifestando a mesma esperança para Lagos. “Maria não vai deixar Lagos igual se abrirmos o coração ao Espírito Santo”, concluiu. A imagem mariana continua em Lagos até 19 de Janeiro, dia em que seguirá para a paróquia de Porches seguindo o programa que se segue até ao dia 26 de Janeiro. Mais fotos na Galeria de Imagens Programa da Visita da Imagem Peregrina da Nossa Senhora de Fátima à paróquia de Porches 19 de Janeiro (sábado) 18h00 – Recepção da Imagem Peregrina de N. Sra. de Fátima junto à Caixa Agrícola e procissão até à Igreja – Celebração Mariana de Acolhimento 20 de Janeiro (domingo) 11h00 – Celebração Mariana da Eucaristia 21 de Janeiro (segunda-feira) 21h00 – Recitação do Terço 22 de Janeiro (terça-feira) 21h00 – Celebração Mariana dedicada às famílias – Convívio das famílias no Salão Paroquial 23 de Janeiro (quarta-feira) 21h00 – Recitação do Terço 24 de Janeiro (quinta-feira) 16h00 – Oração Mariana com os idosos e consagração à Nossa Senhora – Convívio com os idosos no Salão Paroquial 25 de Janeiro (sexta-feira) 21h00 – Recitação do Terço 26 de Janeiro (sábado) 16h00 – Oração Mariana com as crianças da Catequese e consagração à Nossa Senhora 18h00 – Saudação de despedida da Imagem Peregrina de N. Sra. de Fátima e procissão até Armação de Pêra A Igreja estará aberta a partir das 14h00 de 19 a 26 de Janeiro.