Segunda-feira 21 de Outubro de 2019
Inicio / Noticias / HÁ JÁ QUASE UM MÊS…

HÁ JÁ QUASE UM MÊS…

Há já quase um mês, que os seus raptores, continuam insensíveis à dor dos pais, indiferentes ao desespero de uma mãe que se vê abrupta e inesperadamente, sem qualquer razão que o justifique, privada do convívio com a sua filha menor. Será que essas pessoas não têm coração? Não têm sentimentos? Não sentem piedade, compaixão, misericórdia, respeito pela dor, pelo desespero, pelo horrível sofrimento por que passam aqueles pobres pais? Será possível que não vejam televisão? Que não ouçam rádio? Que não leiam jornais? Será possível que não naveguem na net? Será que são extra-terrestres que viajaram para outra galáxia? Será que nem sequer se compadecem dos irmãozinhos da Maddie que perguntam por ela, não percebem o que se passa e sentem a sua falta? Será que não têm compaixão pela própria Madeleine, que sente saudades da sua mãe, do seu pai, dos seus irmãos, amigos e familiares? Será que há seres humanos que se julgam tão importantes, que se têm em tão alto conceito, que possuem um ego tão elevado, que vão ao ponto de desprezar todos os seus semelhantes, como se todos os outros existissem apenas para servir os seus caprichos, as suas vaidades, os seus interesses mais mesquinhos e inconfessáveis, os seus vergonhosos vícios? Será que o egoísmo destas criaturas chega ao ponto de se estarem nas tintas para o facto de destruirem vidas humanas e desestruturarem famílias inteiras? Como será que esssas pessoas acomodam as suas conciências? Aliás, será que ainda têm consciência? Quase apetece perguntar até, se ainda serão pessoas? Se ainda são pessoas humanas, se ainda têm consciência, devolvam a Maddie! Correspondam ao apelo do Bispo do Algarve, entreguem a Maddie “mesmo que seja de uma forma privada, não pública, anónima, mas devolvam-na aos seus pais, porque o lugar dela é na família”, declarou D. Manuel Neto Quintas aos microfones da Rádio Renascença. Os que raptaram a Madeleine, poderão abandonar a menina num qualquer lugar, e posteriormente avisar telefonicamente as autoridades, ou se quiserem nem isso, deixem-na simplesmente ficar, que alguém a há -de encontrar. Ainda estão a tempo de corrigir um grande erro. Ainda estão a tempo! Mesmo que, por infelicidade, a menina já não estivesse viva, sempre poderiam devolver o seu corpo, para que os seus pais a pudessem, ao menos sepultar, fazer luto e com o tempo sarar minimamanetre a ferida, mas devolvam a Madeleine, correspondam ao apelo do Bispo do Algarve e “pensem no sofrimento causado aos pais, a todos os pais, reconsiderem, entrem dentro de si e devolvam a Madeleine”, viva ou morta, mas devolvam-na!

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …