O responsável por aquele sector adiantou que os sete hospitais existentes no Algarve, com um total de 849 camas, recebem 35.413 internamentos por ano, com uma média de permanência na unidade hospitalar de sete dias por pessoa. “Isto deve-nos fazer pensar enquanto cristãos, sobretudo hoje que ouvimos falar tanto em Nova Evangelização. Nova Evangelização não é só computadores ou coisas para descobrir. O mundo da saúde há-de ter a ver com Nova Evangelização”, afirmou. Com base no número que considerou “astronómico”, lembrou que “não há nenhuma paróquia algarvia que tenha 35 mil habitantes”. Por isso defendeu um “trabalho de relação entre hospital e paróquia”, adiantando que, um dos objectivos daquele sector da pastoral “é dar respostas sérias e verdadeiras a isto”. “Não basta a boa vontade do pároco ou do capelão”, complementou. Concretamente sobre as actividades previstas informou que, a nível diocesano, é intenção formar o Conselho Diocesano da Pastoral da Saúde e anunciou a realização das Jornadas da Pastoral da Saúde (21 de Março) e a promoção do Dia Mundial do Doente (11 de Fevereiro) no Hospital Central do Algarve. A nível vicarial destacou a continuação da formação dos ministros extraordinários da comunhão e a nível paroquial a organização de núcleos da Pastoral da Saúde que façam acompanhamento do doente, para além da realização de uma actividade no Dia Mundial do Doente com a administração da Santa Unção para revitalização do sacramento. Mais fotos na Galeria de Imagens