Ordenado a 15 de Setembro de 1934, tendo celebrado a sua missa nova no dia 23 do mesmo mês, o cónego monsenhor Sezinando Rosa foi, entre outras funções, vigário geral e vigário episcopal para a Pastoral Social da Diocese do Algarve, pároco de Alcantarilha e administrador paroquial da Guia, secretário geral da Acção Católica de Portugal, director do Secretariado Geral da Conferência Episcopal Portuguesa, administrador da Rádio Renascença, secretário geral da Universidade Católica Portuguesa e provedor da Santa Casa da Misericórdia de Alcantarilha. Na Eucaristia da celebração das bodas de diamante da ordenação sacerdotal, o Bispo do Algarve manifestou a união de toda a Diocese do Algarve no “louvor a Deus pelo dom da vida e pelo dom do sacerdócio” que concedeu ao sacerdote de mais idade do presbitério algarvio. D. Manuel Quintas, que destacou estar pela primeira vez a celebrar os 75 anos de ordenação de um sacerdote, reconheceu estar a vivê-lo “com um sentido único”. O Bispo do Algarve evidenciou que o dom do ministério do aniversariante fala não só à Igreja do Algarve, mas também à Igreja de Portugal, recordando os diversos organismos “a quem dedicou o seu saber, inteligência, disponibilidade, juventude, força” ao longo destes 75 anos. “A sua vida não se trata apenas de uma soma de anos. Não olhamos para ele só porque tem uma quantidade invejável de anos, mas sobretudo porque estes anos foram marcados pela qualidade de vida, do seu ministério e do seu serviço”, destacou o Prelado. Neste sentido, D. Manuel Quintas salientou que o “ministério de padre passa antes de mais pelo anúncio da Palavra, pela celebração dos sacramentos e pela dimensão da caridade”. “É este tripé que define e qualifica o ministério ordenado, exercido em comunhão com o Bispo e todo ministério, em nome de Cristo”, sublinhou, considerando que “todos estes anos de sacerdote têm por detrás deles o seguimento de Cristo”. “Há também uma confiança muito grande n’Aquele que chama, mais do que em si mesmo”, acrescentou, destacando a “identificação com o projecto de Cristo” por parte do aniversariante. Constatando o facto de estarem presentes na celebração o sacerdote “mais idoso em sacerdócio” e o mais jovem do presbitério algarvio, o Bispo diocesano apelou à santidade do clero do Algarve. “Vamos também pedir ao Senhor que nos faça santos, de modo que falemos mais com o nosso testemunho do que com a nossa palavra e que possamos, através do testemunho, motivar-vos na oração pelas vocações de consagração e interpelar os jovens a seguir Cristo à maneira dos apóstolos e do monsenhor Sezinando”, afirmou. O aniversariante, que é também membro do Cabido diocesano, dirigiu a D. Manuel Quintas, num registo surpreendente para a sua idade, uma palavra de “muita gratidão” e de “incentivo” para continuar a trabalhar. Agradeceu aos colegas pela presença e a Deus pelo apoio no trabalho realizado pela Igreja e em nome da Igreja. Agradeceu ainda aos conterrâneos pela presença e oração. O cónego monsenhor Sezinando Rosa concelebrou com o mesmo paramento com que foi revestido no dia da sua ordenação presbiteral, oferecido pelos seus pais que ofereceram também o cálice utilizado também agora na celebração das bodas de diamante. A Eucaristia contou também com a presença de duas pessoas que tinham estado há 75 anos na sua ordenação. Recorde-se que cónego monsenhor Sezinando Rosa, desde que nasceu foi contemporâneo de 9 Papas e 8 Bispos do Algarve e desde a sua ordenação sacerdotal já deveu obediência a 7 Papas e 7 Bispos do Algarve. Mais fotos, brevemente na Galeria de Imagens