Depois da estrutura do próprio templo que foi, através de um processo complexo, totalmente consolidada, visto estar a apresentar fissuras que poderiam levar ao seu colapso, foi agora a vez das áreas exteriores. “Este arranjo do adro da Igreja, – assevera o pároco –, foi proposto por mim em 1994, mas acharam que as ideias não podiam vir da Igreja”. Agora, concluída a obra será assinado um protocolo entre a Câmara e a Fábrica da Igreja Paroquial para que, se no futuro for realizada nova alteração no espaço envolvente da igreja, a área do adro, pertencente à paróquia, seja devolvida. As obras, no valor de 306 mil 806 euros, foram realizadas e pagas pela autarquia e o projecto foi proposto pela paróquia.