Inicio / Noticias / Igrejas do concelho de Loulé e espaços envolventes são recuperados

Igrejas do concelho de Loulé e espaços envolventes são recuperados

A Câmara Municipal, «tendo em conta a necessidade de preservar» as igrejas do concelho, está apostada em apoiar as obras de requalificação. Para além dos templos, a autarquia tem procurado ainda recuperar os espaços envolventes das diversas freguesias. Assim, na freguesia de São Sebastião, a ermida da Nossa Senhora da Conceição vai ser alvo de trabalhos de restauro já que apresenta um vasto conjunto de problemas de conservação, nomeadamente a degradação acentuada dos elementos em madeira (estrutura, pavimento e coro), dos azulejos, das pinturas do tecto, dos retábulos em talha e das coberturas e fachadas. Classificada como “imóvel de interesse público”, a ermida da Nossa Senhora da Conceição foi fundada em 1656, constituindo uma peça notável do património louletano. Possui um acervo de património integrado, de incidência essencialmente barroca, representativo das artes dos séculos XVII e XVIII segundo a sua expressão regional. Este ex-líbris do património religioso de Loulé localiza-se na zona histórica da cidade, em frente à Alcaidaria do Castelo, uma área que a autarquia está a reabilitar. Segundo a edilidade, a obra terá um custo de perto de 400 mil euros.Ainda em Loulé, no âmbito da reabilitação do Palácio Gama Lobos, a igreja que existe neste edifício abrasonado do século XVIII vai ser reparada. O custo dos trabalhos é, segundo a autarquia, de 30 mil euros. A edilidade aprovou também um apoio no valor de 6 mil euros à Fábrica da Igreja de São Sebastião para fazer face às despesas de manutenção da ermida da Nossa Senhora da Piedade, um dos monumentos mais expressivos do culto e da vivência religiosa dos louletanos. A Câmara pretende que a ermida não seja somente aberta em dias festivos, mas explorar também a vertente museológica e cultural do espaço, sendo necessário, para tal, a sua manutenção periódica.Entretanto, a autarquia atribuiu ainda um subsídio de 25 mil euros ao Centro Paroquial de Quarteira como forma de apoio à reparação do telhado da capela-mor e nave central da igreja matriz de Quarteira. A reparação da igreja de São João da Venda, freguesia de Almancil, um imóvel do século XVI, também vai ser comparticipada pela edilidade que aprovou uma comparticipação financeira à Fábrica da Igreja Paroquial de Almancil no montante de 2500 euros. Finalmente, na faixa interior do concelho, a igreja matriz de Benafim apresenta «graves» carências de conservação (demolição do telhado, fornecimento e colocação de telhas, pintura, etc.), que urge intervir com carácter de urgência. «Considerando que cada vez são mais os turistas que visitam a freguesia de Benafim», a edilidade pretende apoiar a paróquia de Nossa Senhora da Assunção de Alte, comparticipando os trabalhos mencionados, com cerca de 14 mil euros.No que respeita ao arranjo das zonas envolventes às igrejas têm vindo a ser, ao longo dos últimos meses, criados alguns espaços de lazer e estadia.Assim, no âmbito da requalificação urbana da Tôr, a edilidade está a levar a cabo os arranjos exteriores do Largo da Igreja, o principal ponto de encontro da população desta aldeia do barrocal algarvio. A obra, que, segundo a edilidade, orçará em cerca de 120 mil euros, vai consistir no arranjo paisagístico de toda a envolvente, melhoria do pavimento e iluminação.Na cidade de Loulé, a autarquia levou recentemente a efeito o arranjo urbanístico do Largo da igreja matriz. Assim, o Jardim dos Amuados, um dos espaços verdes da cidade, foi alvo de reparação de muros e pavimentos e pinturas gerais, de forma a melhor este local de estadia da população. O custo total dos trabalhos foi, de acordo com a Câmara, de cerca de 12 mil euros.Finalmente, em Quarteira, a zona exterior à igreja da Nossa Senhora da Conceição, localizada no Largo Pedro Álvares Cabral, também sofreu uma melhoria substancial. Para além da reparação do pavimento em calçada grada e miúda, esta empreitada incidiu na criação e ordenamento de lugares de estacionamento. A empreitada teve, segundo a edilidade, um custo de cerca de 22 mil euros.A Câmara Municipal entende que «a recuperação do património religioso construído reveste-se de especial importância não só do ponto de vista histórico-cultural mas também em termos turísticos já que, cada vez mais, os turistas que visitam o Concelho procuram conhecer os aspectos culturais da região».

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …