A imagem foi entregue ao pároco da Matriz, o cónego José Pedro Martins, que a esperava com um pequeno grupo de dirigentes do CNE – Corpo Nacional de Escutas. Transportada numa viatura até às proximidades da Alameda, o andor foi trazido em ombros, em procissão litúrgica, até ao centro da Alameda onde a esperavam cerca de 3.000 pessoas, tendo início uma celebração de acolhimento. Este momento celebrativo foi protagonizado pelas crianças da catequese que fizeram um Rosário gigante, onde cada dezena de crianças se revestia de uma cor diferente, significando a diversidade da humanidade dispersa pelos vários continentes. Após o início da celebração, teve lugar um dos momentos mais belos da noite: o acender das velas. Um mar de luz invadiu, ao som de cânticos, a Alameda naquele momento. Teve, então, lugar a recitação do terço que foi orientado pelas catequistas e crianças da paróquia, tendo presente as aparições da Nossa Senhora a três crianças: os pastorinhos de Fátima. Após a recitação do Rosário, iniciou-se a procissão com a imagem mariana por algumas ruas do centro da cidade, rumo à igreja matriz. Como é objectivo da vinda da imagem peregrina à diocese do Algarve, chegado o cortejo à igreja, que foi muito pequena para a afluência de pessoas, deu-se destaque à Palavra de Deus. Foi lida a passagem bíblica da Bodas de Caná que orienta o Programa Pastoral deste biénio. O cónego José Pedro Martins, na breve homilia que fez à assembleia presente referiu isto mesmo. “A presença de Maria, da sua imagem peregrina, aqui na nossa paróquia, deve-nos levar até ao seu Filho, até à Palavra. Não podemos ficar detidos em Maria, mas sim obedecer à sua indicação, expressa no Evangelho: «Fazei o que Ele [Jesus Cristo] vos disser», referiu, acrescentando ainda que “a presença da imagem peregrina não pode ser vista de modo isolado, mas no contexto da nossa acção pastoral e paroquial que temos vindo a fazer e que continuaremos depois da passagem da imagem: a Palavra de Deus”, referindo-se sobretudo às catequeses bíblicas que foram realizadas na paróquia nos meses antecedentes e à exposição sobre a Palavra de Deus “Bíblia em festa”. A celebração de acolhimento terminou com a entoação efusiva de cânticos por parte da assembleia. A imagem permaneceu na igreja matriz de Portimão, que esteve aberta ininterruptamente das 7.30h às 23.00h, havendo ao longo do dia quatro actos comunitários animados e orientados por vários grupos da paróquia. Do dia 24 ao dia 28 a imagem peregrina percorrerá os vários lugares periféricos da paróquia onde costuma haver habitualmente a Eucaristia mensal e grupo de catequese e oração, estando novamente na igreja matriz a partir do dia 29 até ao dia 2 de Agosto. Mais fotos na Galeria de Imagens