Após um momento de oração, seguiu-se uma procissão pela estrada principal da aldeia rumo à igreja paroquial que foi pequena para acolher os fiéis que queriam celebrar a Eucaristia. Todos os dias, durante a semana que seguiu, a paróquia propôs temas de oração que eram meditados na oração do Angelus, nos diversos terços do dia, na Eucaristia e noutros momentos propostos. A paróquia organizou também outras actividades de oração como a Cantata “Memorial da Irmã Lúcia e do Beato Francisco Marto”, sob a orientação do frei José António da Diocese de Beja, no domingo; a visita ao lar da Torre de Natal, na segunda-feira; a adoração ao Santíssimo Sacramento dinamizada pelos jovens da paróquia que estiveram um mês em missão ad gentes no Chimoio, na quinta-feira; ou a Via-Sacra com as famílias, na sexta-feira. Foi ainda benzido um painel de azulejos com o tema “O Senhor crucificado por Amor”, pintado pelas irmãs do Carmelo do Patacão. Momento forte da passagem da imagem peregrina pela paróquia da Conceição de Faro foi a grande procissão de quatro horas, de carro, pelos lugares diversos da freguesia. Terminada a procissão, já perto das 23h30 da noite celebrou-se a Eucaristia e, uma vez mais, a igreja tornou-se pequena para todos os que quiseram participar na celebração que terminou pelas 00h30. É que, atendendo à hora, não se contava com um número tão significativo de pessoas à espera da imagem no largo paroquial. No dia 5 de Setembro, sábado, a paróquia entregou a imagem, no sítio de Mar e Guerra à comunidade do Patacão, da paróquia de São Pedro de Faro.