Assinalamos o que aconteceu em Faro e em São Brás de Alportel cujos presépios monumentais erigidos pelos respectivos Municípios foram delapidados com o roubo de imagens (na capital algarvia por duas vezes levaram a imagem do Menino Jesus). Mas o mais grave teve lugar junto à Igreja Matriz de Estoi, em cujo adro, estava armado um Presépio Monumental, no âmbito do certame promovido pela CCDRA (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve). Primeiro foi o desaparecimento das imagens do Menino e da Virgem Maria, que foram lançadas a um poço. Depois, na Véspera do "Dia de Reis", na noite da última Sexta-Feira atearam fogo às imagens de São José e da mulinha, junto às portas do templo, gerando-se um incêndio que para além de danificar as figuras do Presépio causaram grandes estragos às centenárias portas do templo paroquial.