A religiosa, vinda da sua diocese natal de Leiria-Fátima, o­nde esteve um ano com a responsabilidade do noviciado na casa de formação da congregação, veio agora substituir a irmã Maria José Sousa que seguiu para a diocese de Portalegre-Castelo Branco. Natural da freguesia de Santa Eufémia (Leiria), a irmã Maria Arminda Faustino, à excepção do último ano, tem estado ligada ao sector da catequese, particularmente durante os 9 anos em que esteve no secretariado da diocese insular de Angra do Heroísmo. Agora no Algarve, a irmã Maria Arminda Faustino, que confessa ter acolhido o convite “com alegria”, espera integrar-se na diocese algarvia e conhecer a sua realidade, adiantando que já teve oportunidade de conhecer alguns vigários apresentados pela irmã Maria José. “O conhecimento que tenho da diocese é pouco. Venho para me integrar nesta Igreja diocesana e, na medida das minhas possibilidades, dar o apoio que conseguir”, refere. Relativamente às actividades a realizar neste primeiro ano, aquela responsável adianta que deverão ser realizados alguns cursos de iniciação. “Deveremos fazer, pois há sempre catequistas novos e até porque já mais do que um pároco me falou nisso”, refere a irmã, acrescentando que, “em relação aos cursos gerais, seria bom os catequistas que ainda não o fizeram completassem os estágios”. Em relação a outras actividades, a irmã Maria Arminda Faustino afirma que pretende “tentar saber quais as verdadeiras necessidades” sentidas pela equipa diocesana da catequese.