Quinta-feira 22 de Agosto de 2019
Inicio / Noticias / Jornada da Juventude marcada pela participação de nova geração e pelo testemunho para a cidade

Jornada da Juventude marcada pela participação de nova geração e pelo testemunho para a cidade

Embora se tenha notado a ausência de algumas comunidades paroquiais que até têm grupos de jovens organizados, a iniciativa organizada uma vez mais pelo SDPJ – Sector Diocesano da Pastoral Juvenil ficou também marcada pela participação de uma maioritária percentagem de jovens que nunca tinham participado numa acção deste género. Provavelmente um sinal da renovação da diocese, concretamente ao nível da juventude. Em ambos os dias, e no decurso das actividades programadas, a presença dos jovens não passou despercebida e constituiu, de certa forma, testemunho para a cidade louletana. O testemunho, que o mesmo é dizer a cruz, este ano renovada, concebida pelo SDPJ para passar por toda a diocese algarvia, de paróquia para paróquia, no âmbito da organização da Jornada Diocesana da Juventude, este ano foi entregue pelos jovens de Loulé, no decorrer da Eucaristia de sábado, aos de Albufeira, a comunidade paroquial que receberá a iniciativa no próximo ano de 2007.                                Caminhada mariana marcou a 1ª noite da Jornada da Juventude No primeiro dia, 7 de Abril, os jovens, após a montagem do acampamento e do jantar, foram acolhidos no Centro Paroquial e Social de Loulé e dali deram início à caminhada nocturna, intitulada “No Caminho Luminoso da Cruz”, que os levou até ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana). O percurso, iluminado por velas e archotes, a que se associaram muitas pessoas a partir das varandas e janelas das suas casas, foi marcado por sete momentos que inspiraram toda a caminhada mariana e que se referiram a acontecimentos vividos por Jesus, tendo neles sua Mãe também um papel importante. Desde a apresentação no templo com a profecia de Simeão, até à sepultura de Cristo, passando pela fuga para o Egipto, o encontro no templo com os doutores, o caminho para o Calvário, a Crucifixão e a descida da cruz, os diversos momentos, dramatizados por algumas paróquias, contribuíram contextualizar melhor a mensagem. Peregrinos até ao Santuário mariano de maior expressão no Algarve, os jovens transportaram consigo a cruz que os acompanha e que passa, como testemunho, de jornada em jornada. Chegados já cansados ao cimo da colina sombraceira à cidade louletana, iniciaram dentro da igreja do Santuário uma vigília de oração que contou com alguns símbolos. Entoando cânticos, os jovens, aos pés de Maria, a Mãe Soberana, permaneceram em adoração a Jesus, presente na Eucaristia. Já pela madrugada dentro, e após terem terminado a vigília no interior de igreja, vieram para o seu exterior o­nde visualizaram três filmes durante toda a noite. O primeiro foi o recém-editado documentário sobre a vida de João Paulo II, de nome “Credo”, seguindo-se a película “Favores em Cadeia” e por fim “O Pianista” que terminaria já às 7.30 horas de sábado. Quem quis teve ainda algum tempo para repousar no interior das tendas do acampamento e pelas 10 horas, voltando ao interior da igreja do Santuário, participaram na celebração da Eucaristia presidida pelo Bispo do Algarve.                                     Bispo do Algarve pediu “entusiasmo e paixão” no seguimento de Cristo D. Manuel Neto Quintas, na sua homilia, em Loulé, deteve-se na mensagem “sempre oportuna” do Papa para o Dia Mundial da Juventude, que este ano, intitulada “A Tua Palavra é farol para os meus passos e luz dos meus caminhos”, proporcionava um enfoque particular sobre a Palavra de Deus. E o Bispo diocesano começou por garantir aos jovens que “só escutando e acolhendo a Palavra de Deus como luz” é que poderão “seguir Cristo e corresponder ao seu pedido: vem e segue-me”. Lembrando as palavras de Bento XVI, D. Manuel Quintas assegurou que a Palavra de Deus é orientação para a vida. “Jovens procurai ter a Palavra de Deus sempre à mão e vede nela uma bússola que orienta a vossa vida”, concretizou o Prelado, acrescentando que este aspecto por si só “não basta”. “É preciso confiar nessa Palavra, como fez Abraão, e acolhê-la com docilidade como alguém que escuta e se empenha em concretizá-la na sua vida”, complementou. Destacando a proposta do Papa para a leitura das Sagradas Escrituras, o Bispo do Algarve incentivou, também ele, a juventude algarvia a utilizar a Leccio Divina e explicou o método. “Não se trata de ler como lemos um livro qualquer. É preciso primeiro ler e entender aquilo que se lê, depois ler a leitura como sendo dirigida a si próprio para perceber o que é que ela diz e depois, respondendo através da oração, procurando perceber o que aquele texto me faz dizer”, explicou o D. Manuel Quintas, garantindo que “só lendo a Palavra de Deus, deste modo, é que ela é verdadeira semente”. Manifestando o desejo de que conheçam e se identifiquem “cada vez mais” com Cristo, o Bispo do Algarve apelou aos jovens que para que dêem tudo a Cristo. “Não deis a Cristo apenas aquilo que vos sobra da vossa vida. Deveis dar-lhe tudo, porque só assim é que encontrareis a verdadeira alegria de viver, só assim é que esse entusiasmo que caracteriza a vossa vida frutificará também junto dos vossos próprios colegas”. E usando de “franqueza” interpelou-os. “Caros jovens, como Bispo desta diocese, não me impressiona muito se sois muitos ou poucos, aqueles que seguem Cristo. Aquilo que eu gostaria é que aqueles que O seguem O sigam com verdadeiro entusiasmo e paixão. E sobretudo que não fizessem destes encontros algo que não passa verdadeiramente por vós, algo que vos passa ao lado e não entra no vosso coração e na vossa vida. Não deixeis que isso aconteça, porque isso criaria uma insatisfação em cada um de vós”, disse, considerando que “só assim é que é possível marcar a diferença entre os jovens que se identificam com Cristo daqueles que não se identificam”. A terminar, e lembrando a necessidade emergente de vocações consagradas, questionou: “porque é que há tanta hesitação entre os jovens que sentem o apelo de Cristo para dedicarem toda a sua vida à causa do Reino, à Igreja, aos outros?”. “Certamente que é pela nossa falta de confiança e de fé”, respondeu, deixando um apelo final aos jovens: “Não tenhais medo de vos dedicar totalmente a Cristo e à Igreja”. “Confiemos mais na força d’Aquele que nos chama do que na nossa capacidade de responder”, concluiu.                          Missão de rua deu seguimento à Palavra celebrada e Festa Jovem encerrou com chave de ouro Depois da Eucaristia, os participantes da Jornada da Juventude, enviados por grupos viveram algumas experiências de anúncio da mensagem cristã e entregaram por várias zonas e instituições da cidade alguns cartões com ideias extraídas da mensagem do Papa para aquela ocasião. Os lares da Misericórdia ou de São José, bem como os mercados da roupa e do peixe, ou os hipermercados foram alguns dos locais o­nde os jovens puderam evangelizar. Desde o acolhimento visivelmente necessitado de um gesto de proximidade até à mais gelada recepção, várias foram as reacções experimentadas pela juventude cristã algarvia. À tarde, depois do almoço, já no Parque Municipal de Loulé, os jovens novamente reunidos fizeram festa e partilharam as experiências vividas pela manhã. Houve ainda tempo para ouvir algumas das canções participantes no VI Festival Diocesano Jovem da Canção Religiosa e a encerrar actuaram os recém-criados Laudate.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …