Cerca de 320 jovens, vindos de diversas paróquias algarvias, do Barlavento ao Sotavento, reuniram-se para a Jornada Diocesana da Juventude realizada naquela comunidade paroquial. O campo de futebol do clube local acolheu os participantes que aí montaram acampamento em torno de uma tenda de grandes dimensões o­nde iriam decorrer alguns dos principais momentos deste encontro diocesano da juventude. Na noite de sexta-feira, após o acolhimento, montagem de campo e jantar teve então início a caminhada, que contou, no seu início, com a presença do Bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, e foi participada também por muitos membros da comunidade paroquial local. Sob a temática “A Santidade”, o trajecto de alguns quilómetros que percorreu alguns dos montes circundantes à Mexilhoeira Grande, constituido por sete etapas, foi marcado por diversos momentos de valorização simbólica relacionados com o Caminho, a Eucaristia, o Baptismo, o Perdão, a Caridade, etc. Os peregrinos que encheram os caminhos e ruas da freguesia receberam e partilharam alguns símbolos como uma cana, uma vela, três pães e, por fim, foram convidados, antes de entrar na tenda o­nde se realizaria a celebração de oração e adoração ao Santíssimo Sacramento, a lavar as mãos numa bacia com água. Ainda antes do regresso ao campo de futebol, no adro da igreja da Mexilhoeira Grande, o grupo de jovens da paróquia local apresentou uma projecção sobre o trabalho pastoral realizado na comunidade, particularmente os projectos desenvolvidos na área sócio-caritativa. Já na tenda de oração, após a celebração de adoração ao Santíssimo Sacramento o­nde foi feita uma particular referência a Alberto Magno e Edith Stein, dois dos santos apontados pelo Papa João Paulo II na sua mensagem deste ano aos jovens, como exemplos no caminho para a santidade, os participantes deram continuidade, hora após hora, à adoração a Jesus presente na Eucaristia. Com cânticos, textos, poemas e orações, os jovens revessaram-se na adoração eucarística até às 8 horas de sábado. Pelas 10 horas, a Eucaristia presidida por D. Manuel Neto Quintas foi outro dos pontos altos desta Jornada Diocesana da Juventude. Na sua homilia, o Bispo diocesano lembrou aos jovens a preparação para a participação na XX Jornada Mundial da Juventude em Colónia (Alemanha) em Agosto próximo, com base na passagem escolhida pelo Papa para a sua mensagem deste ano à juventude, cujo tema é “Viemos adorá-l’O”. «É importante preparar a ida a Colónia, mas mais importante é a preparação espiritual e interior. E esta jornada aqui visa fundamentalmente isso», afirmou o D. Manuel Neto Quintas, lembrando que «foi a preparação interior que mobilizou os 3 magos a enfrentarem todas as dificuldades, a não olharem a sacrifícios». Depois de esclarecer o significado dos presentes oferecidos pelos magos ao Menino, o Bispo do Algarve, continuando a dirigir-se aos jovens, perguntou: «hoje, o que é que Jesus vos pede que ofereçais? Vindes aqui, neste fim-de-semana, passar este dia juntos, iluminados por este tema, para vos encontrardes uns com os outros e todos com Jesus, de maneira particular, com Jesus na Eucaristia. O que é que ides trazer ao altar no momento do ofertório? Os Magos trouxeram ouro, incenso e mirra e vós?». «O Papa diz, – lembrou o Prelado – “oferecei o ouro da vossa existência, da vossa vida, a liberdade de O seguir por amor, respondendo fiel e generosamente ao seu chamamento”». «De facto, Deus criou-nos livres. Vós podeis decidir seguir Jesus ou não o seguir! Podeis decidir viver de uma maneira consciente e plena o vosso baptismo ou não! Podeis decidir ser testemunhas e apóstolos de Jesus na vossa vida! Tendes liberdade para isso. Podeis decidir segui-l’O de uma maneira plena, consagrando toda a vossa vida a Ele ou não!», interpelou D. Manuel Quintas, referindo-se às restantes ofertas enumeradas pelo Sumo Pontífice. «“Elevai para Ele o incenso da vossa oração fervorosa, o louvor da sua glória. Oferecei a mirra, isto é, o afecto repleto de gratidão por Ele, verdadeiro homem que nos amou até morrer como um malfeitor. Sede adoradores do único Deus, atribuindo-lhe o primeiro lugar na vossa vida e rejeitando todas as formas de idolatria. Não cedais a falsas ilusões, a modas efémeras geradoras de um vazio espiritual e existêncial”», disse. Procurando clarificar o significado de adorar Jesus, o Bispo diocesano apelou aos jovens: «não podeis contentar-vos com aquilo que é fácil, superficial, passageiro». «Isso hoje vale e brilha, mas amanhã já perdeu o brilho todo. Não podeis construir a vossa vida sobre estes valores, princípios e ideias. A vossa vida desmoronar-se-á. “Recusai as soluções do consumismo e da violência desimulada”. É preciso ter a coragem de remar contra a corrente e vós sabeis que isso custa», afirmou D. Manuel Quintas, garantindo que «seguir Cristo significa ser provocador». «É isto que precisamos na nossa diocese: provocadores por causa de Cristo», referiu. Recordando que «os magos regressaram por outro caminho», o Bispo do Algarve advertiu que, depois do encontro com Cristo, regressar por outro caminho significa «converter-se e tomar decisões corajosas, mesmo que doam». «Ninguém pode encontrar-se verdadeiramente com Cristo e continuar igual, como se nada tivesse acontecido. Não tenhais medo de fazer opções dificies e heróicas. Cristo continua a precisar de vós nos dias de hoje. A nossa Igreja diocesana e eu, como Bispo, preciso de vós para realizar a minha missão. Os párocos precisam de vós. Não tenhais medo de consagrar a vossa vida a Cristo», apelou D. Manuel Quintas aos jovens. Após a Eucaristia, seguiu-se um espaço de informação e partilha por parte das congregações religiosas femininas e movimentos de expressão juvenil que, representados em diversos stands, testemunharam aos jovens os seus diferentes carismas. Da parte da tarde, os participantes reuniram-se em grupos para reflectirem e partilharem sobre a realidade da inserção paroquial de cada um, bem como para fazerem a avaliação do encontro. A terminar o encontro, realizou-se a Festa Jovem com a apresentação de diversas expressões de animação juvenil, intercaladas com alguns testemunhos. A terminar, o Bispo diocesano deixou ainda mais um apelo aos jovens: «não deixeis cair em “saco roto” a experiência bonita que vivestes aqui o­ntem e hoje». «Acolhei o apelo que Jesus vos fez no coração», pois «a nossa diocese precisa de servidores que se dediquem totalmente», disse. A Jornada terminaria com a interpretação do hino, intitulado “Palavra do Deus Vivente”, realizado pelo Sector Diocesano da Pastoral Juvenil, prepositadamente para esta iniciativa. A próxima Jornada Diocesana da Juventude realizar-se-á em Loulé, comunidade a quem foi entregue a Cruz, durante a Eucaristia.