Chegados a Fátima, os jovens realizaram os programas previstos por cada diocese de origem. No caso do Algarve, os jovens concentrados na entrada principal da nova igreja da Santíssima Trindade, foram convidados, com a ajuda de um guião, a visitarem aquele templo recém-inaugurado, procurando inspirar a sua reflexão individual a partir dos elementos presentes no seu interior. Aos algarvios foi ainda proposta a visita ao novo Museu da Vida de Cristo. Pelas 17 horas, os participantes do Fátima Jovem 2008 concentraram-se no Auditório do Paulo VI para o acolhimento, seguindo-se um momento de oração a Nossa Senhora. Seguiu-se então o concerto dos algarvios Laudate que procuraram animar e fazer festa com os jovens que inundaram de cores o auditório. Após o jantar, os jovens participaram na oração do Rosário, dinamizando os mistérios que foram recitados a partir da Capelinha das Aparições e integraram o mar de velas que constituiu a procissão. De seguida participaram na Vigília, presidida pelo Bispo Emérito de Leiria-Fátima, D, Serafim Ferreira da Silva (que já antes tinha estado presente no acolhimento), promovida na igreja da Santíssima Trindade, um momento particularmente significativo pela simbologia, gestos, projecções e encenações utilizadas. No domingo de manhã, após a recitação do Terço, novamente participada pelos jovens, teve lugar a Eucaristia na escadaria do Santuário. D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima e presidente da celebração, exortou todos os presentes a procurarem o caminho da santidade. No dia em que a Igreja celebrava a Ascensão de Jesus ao Céu, D. António Marto sublinhou que, à semelhança do caminho percorrido por Jesus, “que subiu aos céus mas nunca nos abandona, (pois) Ele próprio disse “Eu ficarei sempre convosco”, todos os cristãos são convidados a dar “um sentido de elevação moral à nossa vida”. “Precisamos de dar à nossa vida, à vida na sociedade, à vida no mundo uma elevação espiritual”, concluiu exortando em especial os jovens a “sair da banalidade e a mediocridade da vida”, “porque vos vai ser confiado o futuro da nossa sociedade”. Esta solicitação “à não acomodação” havia sido já evidenciada por D. António quando saudou, no início da homilia, os jovens presentes no Santuário: “Salve, querida juventude católica de Portugal aqui presente, sinal de uma Igreja viva, alegre e jovem, que não quer envelhecer, não se quer deixar acomodar!”. Aos milhares de jovens que participaram na Eucaristia dominical e que no final da celebração se comprometeram a servir o Evangelho e a dar testemunho de fé, juntaram-se muitos outros grupos de peregrinos vindos de vários países do mundo. A Eucaristia terminou com um momento simbólico com uma largada de balões, afirmando a juventude católica portuguesa o seu propósito de persecução no caminho da santidade. Mais fotos na Galeria de Imagens