O grupo do Sector Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), o terceiro mais numeroso das dioceses portuguesas, seguiu na passada segunda-feira para Brisbane, a diocese australiana situada a cerca de 1000 quilómetros de Sydney, que está a acolher as dioceses de Portugal. A partida para a primeira escala em Londres sofreu apenas um percalço originado pelo facto de um dos participantes se ter esquecido do passaporte, tendo seguido mais tarde ao encontro do grupo, reencontro que só veio a acontecer já em terras australianas. Apesar desta contrariedade, solucionada pelo SDPJ, a viagem de todos decorreu sem problemas de maior, sendo que os 13 algarvios já se encontram em casas de famílias em Brisbane, onde permanecerão até dia 14. Dos 13 elementos deste grupo, 6 são da paróquia das Ferreiras, 3 da paróquia da Mexilhoeira Grande, um da paróquia de Lagoa, um da paróquia de Ferragudo, um da paróquia de Nossa Senhora do Amparo e um da paróquia de Quelfes. Os restantes dois elementos algarvios, pertencentes ao Caminho Neocatecumenal, seguirão para a Austrália no próximo dia 11 de Julho, sendo acolhidos também numa diocese local, e regressarão a Portugal apenas no dia 24 de Julho, dois dias depois dos restantes algarvios. Isto acontece por participarem no dia seguinte ao encerramento da JMJ num encontro vocacional, orientado pelos fundadores do Caminho Neocatecumenal, que possivelmente contará com a presença do Cardeal-arcebispo de Sydney, D. George Pell. Na Celebração de Envio, o Bispo do Algarve, que presidiu à mesma, sublinhou o carácter representativo da participação algarvia. “Revivemos convosco toda a caminhada que fizestes até agora e que vai culminar com essa vossa participação, não apenas a título pessoal, mas a título da comunidade paroquial a que pertenceis e sobretudo como representantes da nossa Igreja diocesana. Vós estais lá como indo de Portugal e da diocese do Algarve”, destacou D. Manuel Quintas. O Bispo diocesano, que pediu aos jovens que levassem com eles “a diocese toda”, garantiu-lhes que toda a Igreja diocesana se quer enriquecer com esta participação, sobretudo os jovens que não podem participar. D. Manuel Quintas lembrou que “celebrar as Jornadas Mundiais da Juventude deve ser, acima de tudo, verificar a autenticidade e qualidade da fé no Espírito Santo”. “Estar numa grande assembleia, de muitas pessoas vindas de todo o mundo, que falam línguas diferentes, sentindo-nos irmanados a celebrar a mesma fé e a louvar o mesmo Deus, a crescer no amor a Cristo e à Igreja, sendo, pela acção do Espírito, impelidos a viver e testemunhar o Evangelho, é uma graça e um dom”, considerou. Por fim, D. Manuel Quintas, garantindo que vai “procurar estar particularmente unido” aos jovens, desejou que esta sua participação sirva para avivar “o sentido dos sacramentos da iniciação cristã” e referiu-se particularmente ao Crisma como o sacramento que dá aos cristãos a plenitude do espírito e da fé, tornando-os adultos na fé. Na celebração, o Bispo do Algarve benzeu ainda os participantes e entregou um cachecol da diocese algarvia a cada um. Os 13 jovens participantes através do SDPJ integram o grupo de 55 elementos inscritos através do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), acompanhados pelo Bispo Auxiliar de Braga, D. Antonino Dias, para além do director do DNPJ, o padre Vasco Pedrinho, acolhido agora em Brisbane. A representação portuguesa na Austrália é acrescida de mais cerca de 25 jovens da diocese do Porto e cerca de 19 do Patriarcado de Lisboa, que se inscreveram de modo independente, não integrando o grupo do DNPJ, organizado pela diocese do Algarve. Para além deste grupo maioritário das dioceses portuguesas, Portugal será ainda representado por jovens dos movimentos, associações e obras com assento na Santa Sé, como acontece com o Caminho Neocatecumenal. O SDPJ pretende ir publicando várias vezes por semana as notícias da participação dos jovens algarvios no seu sítio na Internet em www.juventude.diocese-algarve.pt.