O principal motivo desta visita foi o desconhecimento do carisma contemplativo, o que despertou nos jovens interesse e curiosidade. A alegria contagiante das irmãs foi o que mais marcou os jovens que tinham ideias diferentes acerca da maneira de viver das irmãs de vida contemplativa. “Considerando a clausura como um sinal, vivem em contemplação, rezando por todas as pessoas, particularmente por aquelas que mais necessitam, dando um exemplo de missão, de coragem e principalmente de fé”, constataram os visitantes. Ao contrário do que os jovens pensavam, as irmãs “enclausuradas” não possuem apenas a dimensão contemplativa. “Na nossa visita ficamos a conhecer a outra dimensão da sua vida, presente num leque de actividades como bordados, pinturas, esculturas, agricultura e até mesmo apicultura”, salientaram. As irmãs acolheram os presentes com um cântico sobre um poema de Santa Teresinha acompanhado por cítara e guitarra.