Inicio / Noticias / Lausperene diocesano teve início em Silves

Lausperene diocesano teve início em Silves

D. Manuel Quintas, no início da Eucaristia, referindo-se ao Lausperene, à Semana do Seminário e à ordenação diaconal do próximo dia 18 de Novembro, considerou este como um “tempo de oração, de acção de graças e de louvor ao Senhor”. Destacando a centralidade das leituras da Eucaristia em torno da Palavra de Deus, o Bispo diocesano recordou que é Deus que semeia a Palavra, a Palavra que é Cristo e o terreno que são os que a escutam. “A Palavra é Cristo que germina, mais ou menos, de acordo com o modo como nós a acolhemos”, referiu, considerando que cabe às famílias e às paróquias “semear esta Palavra”. D. Manuel Quintas destacou então o Pré-seminário e o Seminário como o “ambiente para que a Palavra possa crescer adequadamente”. “Devemos deixar-nos evangelizar por esta Palavra e ser evangelizadores, a partir do nosso Baptismo, com audácia, coragem e zelo”, exortou, interrogando: “e onde é que vamos buscar esta força?”. “É na Eucaristia. A Eucaristia é o coração da vida cristã, a fonte e cume da acção evangelizadora da Igreja e de cada cristão”, respondeu, citando uma conhecida expressão do Papa João Paulo II: “só uma Igreja apaixonada pela Eucaristia é geradora de vocações sacerdotais”. A terminar, o Bispo do Algarve deixou ainda um apelo. “Gostaria que este tempo de Lausperene despertasse na nossa Igreja diocesana, em todas as comunidades e paróquias, esta paixão pela Eucaristia”, referiu. “Só a partir dessa paixão é que seremos capazes de despertar, de ser o primeiro semeador, de falar a propósito e a despropósito, de não ter medo, de falar do chamamento de Cristo e de O seguir”, observou D. Manuel Quintas, frisou que todos são mediadores da proposta vocacional e que “só assim é que o Senhor escutará a nossa oração e nos dará aquilo que lhe pedimos: vocações de consagração para a nossa Igreja diocesana”. “Se não o fazemos ou se o fazemos com medo é porque não vivemos apaixonadamente o mistério da Eucaristia na nossa própria vida e na nossa própria comunidade”, acrescentou, na expectativa de que a adoração eucarística que percorrerá toda a diocese algarvia ajude a “ganhar novas forças” para não haver esmorecimento na oração. Após a Eucaristia, decorreu pelas ruas em torno da antiga catedral diocesana, a procissão eucarística, tendo o Santíssimo Sacramento ficado no final em adoração na capela de São Francisco do Centro Paroquial de Silves, seguindo o programa previsto para o Lausperene.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …