São seus objectivos: reflectir sobre educação no contexto actual como opção de risco; reflectir sobre a Escola Católica como produtora de cultura humana, não reprodutora de cultura mundana; reflectir sobre a Escola Católica como missão e espaço eclesial; intuir e lançar projectos inovadores no campo educativo e partilhar e testemunhar experiências educativas bem sucedidas, em âmbito pedagógico, escolar e na relação com a família, o meio e a sociedade. «Risco de educar» apela directamente ao arbítrio e à liberdade. Envolvem-se na relação educativa a vida inteira do educador e do educando. Risco pode ser entendido como desafio, pela altura das metas a alcançar; como aposta, correspondente a um acto de confiança e como combate, por ser um caso de vida ou morte, mas é sobretudo um risco de alto valor, pois trata-se da «arte divina de Deus Amor». Entre os palestrantes deste «Fórum 2007 — Risco de Educar», cuja sessão de abertura será presidida por D. Tomás Silva Nunes (Presidente da Comissão Episcopal de Educação Cristã), incluem-se como palestrantes: Carlos Diaz (Universidade Complutense de Madrid) – «Educação e educações»; padre Amadeu Pinto, S.J. – «O risco de educar»; o jurista Luciano Marques – «Sociedade actual: verdade e liberdade»; padre Tarcísio Morais, Salesiano – «Que educador da escola católica?»; D. José Policarpo (Cardeal Patriarca de Lisboa) — «Escola Católica, missão da Igreja» e intervindo na sessão de encerramento o Núncio Apostólico, a Ministra da Educação e o Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa. As inscrições devem ser enviadas até 15 de Janeiro de 2007 para Organização do Fórum 2007 — Campo dos Mártires da Pátria, n.º 40 — 1150-225 Lisboa. Mais informações no sítio www.riscodeeducar.com.