Sexta-feira 29 de Novembro de 2019
Inicio / Noticias / Loulé celebrou mais uma Festa Grande à Mãe Soberana

Loulé celebrou mais uma Festa Grande à Mãe Soberana

Esta que é a expressão mariana de maior devoção no Algarve contou, no dia da chamada Festa Grande, com a presença do Bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, que presidiu à Eucaristia e à procissão que antecedeu a triunfal marcha em ritmo acelerado que conduz o andor, levado pelos homens de opa branca, colina acima até à igreja do seu Santuário. Embora o dia tivesse tido mais duas Eucaristias, a primeira celebrada na igreja de São Francisco e a segunda, sobretudo vocacionada para a catequese paroquial, já no largo do monumento a Duarte Pacheco, o­nde a imagem chegou depois de ter sido trazida na procissão muito participada pelas crianças, a Celebração Eucarística mais significativa foi vivida à tarde. D. Manuel Quintas, aproveitando as festas em honra de Nossa Senhora da Piedade, ‘serviu-se’ de Maria para, através da sua condição de modelo para os cristãos, fazer chegar até à pessoa do seu Filho os milhares de fiéis presentes. Na sua homilia, o Bispo diocesano fez uma catequese sobre Maria e salientou os valores do amor, da partilha, da solidariedade, do perdão e do acolhimento. “Celebramos o corajoso exemplo de fidelidade e fortaleza de Maria ao partilhar as dores do seu Filho aos pés da cruz”, começou por lembrar o Bispo do Algarve, a propósito dos difíceis momentos vividos por Maria, representados na imagem algarvia que materializa o momento em que a Virgem recebe o corpo morto do seu Filho. “A nossa presença aqui quer testemunhar essa disposição interior de acolher Maria como nossa Mãe e de seguir João, o discípulo amado, que acolhe Jesus na sua vida, O segue e O acompanha até à cruz e testemunha a sua presença no meio da comunidade”, lembrou D. Manuel Quintas, a propósito da revelação feita por Jesus na cruz. Mas para acolher Jesus, sublinha o Prelado no seguimento do testemunho do apóstolo Pedro, “é preciso arrepender-se e converter-se” ou seja “avivar as exigências do Baptismo”, explica o Bispo diocesano. E foi precisamente no seguimento da adesão ao “projecto de salvação e vida de Cristo” que o Bispo do Algarve apelou à promoção dos valores já referidos. D. Manuel Quintas sublinhou que as exigências de ser baptizado passam pelo “testemunho que Ele está vivo e actua hoje no mundo” e pelo compromisso “na construção da paz, da justiça e da liberdade e no nascimento de um mundo mais humano, fraterno e solidário”. “Maria, – referiu o Pastor da diocese – é caminho seguro de encontro com Cristo vivo e ressuscitado”. “Como ela somos chamados a acolher Cristo, fonte da vida e de amor. Ela é para nós modelo de fé, esperança e serviço aos outros”, complementou D. Manuel Quintas. A terminar, o Bispo diocesano alertou os fiéis para os riscos de devoções truncadas. “A nossa devoção a Maria não pode limitar-se à veneração, amor e invocação de Nossa Senhora e particularmente limitar-se a um ou alguns dias no ano. Deve ser confirmada pela imitação das suas virtudes, da sua atitude fundamental de permanente acolhimento e realização da vontade de Deus”, afirmou D. Manuel Quintas, considerando que “a verdadeira devoção não consiste numa devoção estéril e passageira”, mas “nasce da fé que nos faz reconhecer a grandeza da Mãe de Deus e nos incita a amar a nossa Mãe e a imitar as suas virtudes”. A celebração foi ainda concelebrada por vários sacerdotes da diocese algarvia, entre os quais o vigário geral, o padre Firmino Ferro e o cónego Gilberto Soares Santos, a quem coube a intervenção à chegada ao Santuário.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …