O recém-ordenado sacerdote presidiu à Eucaristia, pelas 17 horas, concelebrada por um numeroso grupo de padres da diocese do Algarve e das vizinhas dioceses de Beja e Évora, entre os quais o padre Flávio Martins, ordenado sacerdote também no passado dia 11 de Maio. Na homilia escrita que leu, o padre Pedro Manuel agradeceu a Deus o dom do sacerdócio. “Hoje percebo, de modo belo e fecundo, a missão de presbítero, homem espiritual por natureza, que entrega a vida e a oração que a celebração e a Igreja lhe pedem e exigem. Hoje dou graças Àquele que me admitiu na sua presença para O servir na santidade deste mistério admirável de amor. Hoje renovo, com alegria, a prioridade da oração na minha vida e a dedicação à radicalidade que o Evangelho me convida”, afirmou. O novo sacerdote partilhou ainda alguns anseios que projectam o exercício do seu ministério para o futuro. “Desejo ardentemente que a celebração do mistério eucarístico, ao qual há uma semana a trás fui consagrado pela imposição das mãos do nosso Bispo, constitua um especial convite à missão e à configuração da minha vida com a cruz do Senhor”, referiu o padre Pedro Manuel, considerando o povo que lhe foi confiado como “o caminho imprescindível para a santidade”. “Hoje peço a Deus a graça de vos servir e de, por vós, rezar e de me entregar de modo inteiro e pleno a todos aqueles que o Senhor colocar na minha vida de pastor. Hoje rogo ao Senhor da vida que me torne digno de ser anunciador desta maravilha que faz com que o infinito se una ao finito e que Deus toque e chame o homem ao seu convívio”, frisou. À numerosa assembleia (que não conseguiu caber toda dentro da igreja), constituída por muitos conterrâneos seus, mas também por muitas pessoas que se deslocaram de outras partes do Algarve e não só, solicitou o apoio da oração. “Peço a vossa oração por mim e por todos os sacerdotes para que o nosso ministério seja espelho da intimidade que nos torna mais imagem de Cristo, Pastor e Servo. Que eu possa sempre ser anunciador dessa vida nova que o ministério da Igreja me pede que agora actualize e celebre”, rogou. Já no final da celebração, quando agradeceu de modo particular à comunidade de Monchique pelo amparo na sua caminhada vocacional, o padre Pedro Manuel salientou: “foi a palavra do Senhor que me levantou e me fez presbítero para vós”. O sacerdote destacou o facto de aquela paróquia ser geradora de muitas vocações. “Amo verdadeiramente Monchique e há um testemunho bonito, que a muitos de nós passa ao largo, que é o facto de termos tantos padres e religiosos, naturais de cá, que quiseram honrar nesta tarde a nossa celebração com a sua presença”, afirmou. O momento mais emotivo da tarde aconteceu quando partilhou uma frase que lhe foi dita pelo próprio pai, na tarde do dia 21 de Setembro de 1997, como fez questão de precisar. “No momento em que me despedi quando fui para o Seminário disse-me: «Filho, só quero que sejas verdadeiramente feliz». Meus queridos irmãos, dou graças a Deus convosco porque nesta tarde sou um homem verdadeiramente feliz”, exclamou para emoção incontida do pai e dos restantes familiares. A celebração contou ainda com a presença de quase todos os diáconos algarvios, incluindo o diácono Miguel Neto, ordenado no mesmo dia dos dois mais novos padres do Algarve. Mais fotos na Galeria de Imagens