Depois de uma pequena celebração, composta pela saudação a Nossa Senhora de Fátima, proclamação do Evangelho da Anunciação e da recitação de uma Avé Maria, a caravana automóvel seguiu até ao Jardim de Messines. Chegados ali, os fiéis, sob a presidência do padre Augusto de Brito, pároco de Messines, organizaram a procissão a pé até à igreja matriz, sendo o andor carregado em ombros pelos Bombeiros de Messines e por populares. Na celebração que se seguiu, o padre Augusto de Brito destacou a alegria de Nossa Senhora de Fátima perante a recepção que lhe foi prestada. “Nossa Senhora profetizou que todas as gerações a vêm proclamar bem-aventurada e nós aqui estamos exactamente para dar continuidade a esta profecia, tornando-a presente hoje”, começou por exortar o prior, deixando claro que “esta geração também A proclama bem aventurada”. Agradecendo a Maria pelo acontecimento, o sacerdote lembrou que a visita mariana é uma forma de reviver o legado de Cristo na hora da sua morte. “É sempre uma forma de tornarmos presente esta Mãe querida que Jesus nos deu no alto do Calvário, Ela que nos deu, no presépio, o seu Filho. Ela está feliz connosco e nós com Ela”, afirmou. O pároco exortou ainda os fiéis a “deixar que o Espírito de Deus, o Espírito Santo faça um novo Pentecostes” e a “confiar em Maria e seguir permanentemente o seu Filho Jesus Cristo”. “Estes 15 dias em que vamos estar mais perto de Nossa Senhora e rezar mais com o seu Filho, sejamos capazes de abrir o coração, de aproveitar mais esta oportunidade e de dar mais testemunho de Jesus Cristo”, justificou. “Precisamos muito de não sermos cristãos unicamente da Eucaristia, de rezar o terço, mas cristãos a tempo inteiro, cristãos que se esforcem para que o seu Jesus e para que esta Mãe querida sejam conhecidos por mais gente”, concluiu. Depois de uma pequena celebração, composta pela saudação a Nossa Senhora de Fátima, proclamação do Evangelho da Anunciação e da recitação de uma Avé Maria, a caravana automóvel seguiu até ao Jardim de Messines. Chegados ali, os fiéis, sob a presidência do padre Augusto de Brito, pároco de Messines, organizaram a procissão a pé até à igreja matriz, sendo o andor carregado em ombros pelos Bombeiros de Messines e por populares. Na celebração que se seguiu, o padre Augusto de Brito destacou a alegria de Nossa Senhora de Fátima perante a recepção que lhe foi prestada. “Nossa Senhora profetizou que todas as gerações a vêm proclamar bem-aventurada e nós aqui estamos exactamente para dar continuidade a esta profecia, tornando-a presente hoje”, começou por exortar o prior, deixando claro que “esta geração também A proclama bem aventurada”. Agradecendo a Maria pelo acontecimento, o sacerdote lembrou que a visita mariana é uma forma de reviver o legado de Cristo na hora da sua morte. “É sempre uma forma de tornarmos presente esta Mãe querida que Jesus nos deu no alto do Calvário, Ela que nos deu, no presépio, o seu Filho. Ela está feliz connosco e nós com Ela”, afirmou. O pároco exortou ainda os fiéis a “deixar que o Espírito de Deus, o Espírito Santo faça um novo Pentecostes” e a “confiar em Maria e seguir permanentemente o seu Filho Jesus Cristo”. “Estes 15 dias em que vamos estar mais perto de Nossa Senhora e rezar mais com o seu Filho, sejamos capazes de abrir o coração, de aproveitar mais esta oportunidade e de dar mais testemunho de Jesus Cristo”, justificou. “Precisamos muito de não sermos cristãos unicamente da Eucaristia, de rezar o terço, mas cristãos a tempo inteiro, cristãos que se esforcem para que o seu Jesus e para que esta Mãe querida sejam conhecidos por mais gente”, concluiu. A imagem peregrina continuará até ao dia 27 de Abril em Messines, seguindo depois para a paróquia de São Marcos da Serra. Ao longo destas duas semanas, o programa da visita tem a intenção de ir ao encontro da sociedade civil com reflexões e iniciativas nas mais diversas áreas. No domingo coube a Macário Correia, presidente da AMAL – Junta Metropolitana do Algarve orientar uma reflexão sobre “As perspectivas futuras para o interior algarvio”. Na segunda-feira, Carlos Oliveira, presidente da Caritas Diocesana do Algarve, reflectiu sobre a “Descriminação Social”. Ontem o casal Jorge e Cristina Russo interveio sobre a Pastoral da Família. Haverá ainda uma reflexão sobre a prática desportiva, após uma celebração mariana no Estádio Municipal, no próximo sábado, pelas 10.30 horas, bem como intervenções sobre o ambiente, protecção civil, segurança, a vida escolar, serviços prestados os idosos, saúde, entre outras, a realizarem-se em dias diversos. Mais fotos brevemente na Galeria de Imagens