A caminho de Loreto…. Uma semana de férias em Itália? Um encontro com jovens cristãos italianos? Um encontro com o Santo Padre? Uma peregrinação? Um compromisso em representar a diocese do Algarve numa diocese Italiana? Uma verdadeira experiência de Deus, uma verdadeira experiência de abandono e confiança n’Aquele que tudo pode. Sim, esta é a mais fiel e concisa descrição do que foi para mim a semana vivida em Itália, entre os passados dias 27 de Agosto a 3 de Setembro, na qual se integrou o encontro AGORÁ (Encontro de jovens cristãos italianos com o PAPA). Em determinadas ocasiões da vida, torna-se difícil o entendimento e a percepção da nossa missão no caminhar de cada dia. Emerge de nós, desnecessariamente, uma frequente e constante preocupação em responder a muitos porquês da vida, um inexplicável medo de doação sincera e entrega aos desígnios de Deus. Temos uma necessidade enorme em utilizar constantemente uma régua pessoal com a qual efectuamos, ao milímetro, todas as medidas do amanhã, do futuro e, consequentemente, transformamos em complexa a simplicidade do presente. Pensamos que conhecemos, de olhos fechados, a Palavra de Deus, sabemos de cor citações evangélicas como: “Não vos inquieteis quanto à vossa vida…Olhai as flores e as aves do céu … Basta a cada dia o seu problema” (Mt 6, 12-34), “Bendigo-Te, ó Pai, porque escondestes estas coisas aos sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos” (Mt 11, 25), “…E tudo quanto fizerdes, fazei-o em nome do Senhor Jesus…” (Col 3, 17), “… Quando sou fraco, então é que sou forte … Basta-me a Tua graça …” (2 Cor 12, 8-10). No entanto, talvez nos falte ter este conhecimento com os olhos do coração, talvez não tenhamos a humildade para pedir, em cada acordar, a sabedoria do coração, a sabedoria de Deus. Deus não nos pede muito, apenas que tenhamos a coragem de caminhar sem reservas a Seu lado, ainda que, por vezes, as estradas nos pareçam muito escuras. O desconforto que sentimos em deixar, ainda que por poucos dias, tudo o que conhecemos e que nos faz sentir bem, a nossa casa, a nossa família, os nossos amigos e partir para terra “desconhecida” na qual não imaginamos nem o que nos espera nem o que esperam de nós, é resultado da nossa imensa dificuldade em nos despojarmos de nós mesmos para seguir, descalços, pelas estradas que Deus traça para nós. Foi precisamente este o estado interior me caracterizou quando deixei o Algarve rumo a Itália como jovem representante do Algarve no encontro com o Papa Bento XVI. É difícil vestir a pele de Abraão… Os dias vividos em Loreto, foi tempo no qual o Senhor me disse ao ouvido: “Liberta-te de ti mesma…, descalça-te e caminha numa direcção de entrega total reconhecendo-Me em cada rosto que cruzas no caminho”. Deus ensinou-me, durante aqueles dias, a conhecer um pouquinho melhor a palavra CONFIANÇA, fez-me sentir segura na Sua presença e entender profundamente o poderoso sentido da tão conhecida frase bíblica “Não tenhas medo porque Eu estou contigo”; ajudou-me a recriar o meu olhar, a reconhecê-Lo na vida. Hoje, sou mais rica porque tive a grande oportunidade de palpar a importância das pequenas coisas na revelação de Deus e porque Ele me permitiu que eu percebesse e aceitasse com alegria as minhas limitações e me fizesse pequenina para O descobrir, acolher e amar cada vez mais em cada dia, cada acontecimento, cada irmão.