Efectivamente este é o voto maior que pudemos expressar e desejar, com toda a fraterna e cristã solidariedade a cada um dos nossos irmãos e ser um propósito para nós mesmos. Jesus, seguindo o pensamento expresso nas palavras do sacerdote, tem que renascer em permanência em cada ser humano, tal como, concretizando nos seios e esperanças milenares aconteceu no primeiro Natal do Mundo, mas desta feita em nós mesmos, na singeleza dos mais acontecidos e usuais anseios e sobretudo na vivência com os outros e neles pensando com a mente virada para Deus Pai. Um sorriso que é estrela de esperança, uma mão estendida testemunho da fraternidade existente, a saudação amiga que é a referência da solidariedade que nos une, a partilha com os que mais necessitam que é comunhão com as dádivas de Deus, a palavra generosa transformada em apoio no momento necessário, em suma, sermos capazes de, com Fé, Esperança e Caridade, nos assumirmos na condição inultrapassável de filhos do mesmo Pai que está nos Céus e de redimidos pelo Natal de Seu Filho, que veio à Terra para nos salvar. Este é Natal que desejamos para todos, nos quais nos incluímos. Feliz Natal, Irmãos!