Começa um novo Ano Litúrgico, com o «Tempo do Advento», ensejo propício para nos prepararmos para a vinda do Senhor, que o mesmo é dizer, assumirmos em espírito de doação plena que o Natal se avizinha e cada coração deverá ser um sacrário digno e generoso para receber esse Mistério admirável de amor divino que foi o Nascimento de Jesus Cristo para redenção da humanidade. Há neste espaço um duplo sentido que vem da preparação da primeira vinda do Filho de Deus, concretizando a profecia e anseio de milénios e a expectativa da segunda vinda de Cristo no fim dos tempos para a Redenção Final, naquilo que é magistralmente sintetizado do Advento como «um tempo de piedosa e alegre expectativa». É esta duplicidade que nos leva a viver este período litúrgico com a entrega dos nossos desígnios em júbilo porque o Natal, com toda a sua abundância de sentidos nos assume na condição de redimidos e porque nos perspectiva o desejado encontro com o Pai no final dos «tempos do tempo». Também neste 3 de Dezembro de 2006 («I Domingo do Advento») ocorre o V Centenário do Nascimento em Navarra de São Francisco de Xavier, o «Apóstolo das Índias», amigo e discípulo de Santo Inácio de Loiola e figura de referência maior na Missionação Portuguesa no seu evangelizar no Oriente. Junto ao seu túmulo em Goa, a denominada «Roma do Oriente», católicos algarvios, testemunham os cinco séculos do seu nascimento e com eles, em espírito, erguemos ao Senhor Nosso Pai e Nosso Deus a nossa oração pela generosidade evangelizadora deste santo missionário jesuíta, cujo testemunho de vida é uma referência evidente para a nossa vida!