Trata-se de um trabalho sobre o teatro algarvio e que dá a conhecer a origem de vários autos natalícios representados em várias localidades do Algarve, uma tradição hoje quase extinta. São divulgados os textos que serviram de guião para os Ditos de Porches, Estombar e Auto Sacramental de Santa Bárbara de Nexe. Dá a conhecer um manuscrito com o Auto dos Três Reis Magos, encontrado na biblioteca do Seminário de São José em Faro. Realiza uma análise literária aos autos algarvios e desenvolve uma tese sobre as respectivas fontes. Em apêndice apresenta o Combate dos Mouros de Quelfes, Pechão e Santa Catarina da Fonte do Bispo, a única representação popular sobrevivente no Algarve. As Loas em honra de Nossa Senhora das Dores, outrora muito populares, não foram esquecidas. Trata-se de um livro com cerca de 300 páginas ilustradas com um caderno a cores que valoriza a memória do teatro algarvio. A edição é da Casa da Cultura António Bentes de São Brás de Alportel que contou com apoios da Delegação Regional da Cultura do Algarve, Santa Casa da Misericórdia e Câmara Municipal de São Brás de Alportel. A cerimónia de apresentação pública contou com a presença de D. Manuel Quintas, Bispo do Algarve.