O padre Joel Teixeira substituirá então o padre António Rodrigues Alves, membro da Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (claretianos) e pároco daquelas comunidades. A tomada de posse do novo pároco ocorrerá no primeiro fim-de-semana de Setembro. À FOLHA DO DOMINGO, o jovem sacerdote confessou que não irá partir com perspectivas previamente elaboradas. “Vou com vontade de me integrar e a primeira coisa que eu quero é sentir que faço parte daquelas comunidades. Por isso não há um plano pastoral pré-definido, mas uma vontade grande de servir aquelas paróquias”, afirmou. D. Manuel Quintas nomeou ainda no mesmo documento os novos vigários para a recém-modificada estrutura vicarial. Assim, para a vigararia de Portimão foi nomeado vigário da vara o padre José Águas que substituiu o padre Domingos Costa; para a vigararia de Loulé foi novamente escolhido, o cónego Gilberto Soares Santos; para a vigararia de Faro, o padre António Rocha que substituiu o padre Luís Gonzaga Nunes; e para a vigararia de Tavira, o padre Carlos de Matos que substituiu o padre David Sequeira. Recorde-se que todos os sacerdotes das distintas vigararias propuseram em Junho ao Bispo diocesano os nomes para vigários, tendo cabido ao Prelado a decisão final e a sua nomeação. Os novos vigários da vara foram agora nomeados por um mandato de 3 anos, segundo um novo estatuto, com a possibilidade de serem reconduzidos por mais um triénio. Este novo estatuto caracteriza exactamente quais são as funções do vigário e a sua missão dentro do âmbito da vigararia, quer do ponto de vista pastoral, administrativo, litúrgico. Ainda no mesmo documento de provisão, o Bispo do Algarve procedeu à nomeação do novo director diocesano das Obras Missionárias Pontifícias, o padre Leandro Garcês, membro da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (dehonianos), substituindo no cargo o cónego monsenhor Joaquim Luís Cupertino que vinha desempenhando essa função desde o ano 2000. As restantes nomeações que constam do documento são reconduções: a do padre Mário de Sousa como reitor do Seminário diocesano de São José, a do padre Manuel Oliveira Rodrigues como director espiritual da mesma instituição e ainda, na mesma equipa formadora, a do padre Rui Guerreiro, como prefeito. O padre Mário de Sousa foi ainda reconduzido como cerimoniário da Sé.