Na homilia, D. Manuel Quintas congratulou-se com o surgimento da organização também no Algarve e lembrou aos seus responsáveis que “uma associação que pretende ser cristã, Cristo tem de ser a referência plena e essencial”. “Ainda que se defina por princípios cristãos sabemos que esses princípios não podem ser considerados desligados da sua fonte primeira que é Cristo”, observou, destacando que “todos os princípios da associação têm como denominador comum o serviço e o bem de todos”. Nuno Fernandes Thomaz, membro da direcção da ACEGE, organização que conta já com cerca de 1000 associados, lembrou que a associação pertence a uma organização que cobre o mundo inteiro, a UNIAPAC, que “representa quase 200 mil empresários e gestores cristãos”. “Trazemos à responsabilidade social das empresas a dimensão espiritual. Antes de sermos empresários já éramos cristãos”, observou. O padre Rui Guerreiro, membro do núcleo do Algarve da ACEGE, explicou que é intenção da estrutura regional fazer 2 ou 3 encontros destes por ano com pessoas convidadas.