Por volta dos 8 anos iniciou-se no Pré-seminário. “Eu vinha levá-lo sempre”, recorda Maria de Lurdes Pires com emoção, lembrando também o percurso de Seminário que se seguiu e o apoio familiar que se fazia sentir. “Todos lá em casa o apoiaram sempre”, refere. Agora, nas vésperas do dia mais importante para a vida do seu filho, Maria de Lurdes testemunha que não tem palavras para descrever o que sente. “O dia da ordenação do Joel vai ser mais importante que o dia do casamento das minhas filhas”, descreve, confessando que “sempre disse que tinha um grande desgosto se ele desistisse” da sua vocação sacerdotal. “Sinto o meu Joel como uma grande alegria e felicidade e acho que ele se vai realizar”, refere, caracterizando o “seu” Joel como “um bom filho, muito amigo da mãe e dos avós”. Maria de Lurdes mostra-se ainda reconhecida à formação ministrada pelo Seminário diocesano. “O que o Joel é hoje deve-o ao Seminário. Ele foi para lá pequenino e saiu de lá um homem”, concretiza.