Numa das primeiras Eucaristias a que presidiu depois de ordenado sacerdote, o padre António de Freitas, pôde recordar os tempos de infância vividos em Budens, e rever as pessoas que o viram crescer, os seus colegas de escola e de catequese, bem como os seus catequistas. O sacerdote, na terra natal do seu pai, lembrou que festejar Santo António é celebrar as maravilhas que Deus fez neste santo e continua a fazer em cada homem e mulher. Perante uma assembleia composta por membros não só da comunidade anfitriã, mas também de Burgau, Figueira, Lagos, Luz de Lagos, Salema, Vale Boi e Vila do Bispo, o padre António de Freitas explicou ainda que assinalar a festa de Santo António é reafirmar a adesão à Palavra de Deus que toca e transforma e se quer tornar acção em cada crente. Após a Eucaristia, que teve lugar na igreja paroquial, realizou-se a procissão para a capela de Santo António, actualmente em ruínas. Ali, o padre António de Freitas salientou que Santo António amava os pobres e também dedicava o seu tempo a ajudá-los, evidenciando que a Palavra de Deus fez-se nele acção, testemunho e vida. Por fim, exortou os cristãos a imitar o exemplo de Santo António. Os cristãos do Barlavento algarvio, particularmente os de Budens, manifestaram a sua alegria e regozijo pela presença e pelo convívio com o recém-ordenado sacerdote.