Inicio / Noticias / O POBRE DE ASSIS

O POBRE DE ASSIS

Baptizado com o nome de João seu pai Pedro Bernardone, rico mercador de panos, frequentador das feiras de França e talvez em homenagem à esposa que viera da Provença chamou-lhe Francisco, o «Francês». Passou a sua juventude em festas, cavalgadas, serenatas até ser alistado para a guerra que deflagrara entre Assis e Perusa. Num recontro em Colastrade, caiu prisioneiro e alguns meses depois adoeceu gravemente e, nestas circunstâncias, foi resgatado pela “Confraria dos Cativos Doentes». Foi, precisamente, na convalescença que descobriu e se começou a interessar por Jesus Cristo… Um dia, na capela de S. Damião, ajoelhado diante da imagem do Senhor Jesus, ouviu-O dizer-lhe que reparasse a Sua igreja em ruínas. Entendendo que se lhe mandava restaurar a desmantelada ermida em que estava, logo pôs mãos à obra. E não só reparou esta capela como também a da Senhora dos Anjos da Porciúncula. É de notar que foi, precisamente, nesta última capela que no ano de 1209, se lhe fez luz no seu interior sobre os desígnios de Deus a seu respeito, ao ouvir no evangelho da missa o programa de vida dado por Jesus aos discípulos. Logo ali se despojou de tudo, entregando-se todo ao serviço de Deus na pessoa dos leprosos e demais carenciados… Outros companheiros se lhe juntaram animados pelo mesmo espírito de pobreza, de humildade, de pureza, de desprendimento e de alegria na paz. Foi este ideal, o ideal franciscano que em 1210, o Papa Inocêncio III aprova e que constitui, em síntese, a Regra dos Frades Menores. E o zelo apostólico de Francisco não para mais. Com Santa Clara de Assis lança os fundamentos da Segunda Ordem Franciscana e mais tarde funda a Ordem Terceira para pessoas que desejem viver no mundo como religiosas, sem deixar o seu estado. O «Poverelo» como era chamado, o amigo de todas as criaturas, o compositor de cânticos sublimes em louvor do Irmão Sol e outros, sempre familiarizado com toda a espécie de aves e animais, o estigmatizado, recebeu a visita da «Irmã Morte» a cantar na Porciúncula… Este homem simples, pobre e humilde foi, sem dúvida, o maior renovador da Igreja na Idade Média. Por isso é que, passados menos de dois anos da sua morte, o Pobrezinho de Assis é canonizado pelo Papa Gregório IX. Além de outros epítetos S. Francisco de Assis é, hoje, venerado como padroeiro dos ecologistas.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …