Yunus foi distinguido pela Fundação Nobel por causa do microcrédito, sistema por ele inventado, que é visto como um meio adequado para romper o ciclo infernal da exclusão social e assim permitir que muitos homens e mulheres superem o estado de pobreza. Tudo começou por volta de 1974, quando o Professor dava aulas de Economia na Universidade e o seu País, conheceu um tempo de fome generalizada que foi causadora de centenas de milhares de mortes no Bangladesh. Esta situação interpelou-lhe a consciência e o Professor Yunus chegou à conclusão de que os Professores universitários de Economia, serão certamente pessoas muito inteligentes, mas não sabem rigorosamente nada sobre a pobreza. Uma boa conclusão a ser tida em conta por muitos dos nossos Professores, analistas, comentadores e até decisores do sector económico, (governantes, banqueiros e empresários), que tomam decisões económico-financeiras apenas a pensar no equilíbrio das contas públicas, que apesar de todas as medidas re stritivas nunca mais se equilibram, e absolutamente indiferentes à sorte dos mais débeis a quem tais medidas vão afectar directamente. É facil a quem tem vencimentos de cincomil euros ou mais sugerir que os salários devam ter uma redução de 20% para "alavancar a economia". Estas inteligências quando propõem medidas destas, estão sempre a pensar nos salários de quem ganha apenas quatrocentos euros ou até menos, nunca nos altos salários de quem ganha quatro ou cinco mil euros! Estes senhores não sabem efectivamente o que é a pobreza. Estas luminárias deveriam olhar atentamente e estudar sériamente os resultados económicos e sociais das iniciativas do Professor Yunus e do seu Grameen Bank! Até mesmo em termos de eficácia de gestão bancária e de "sucesso empresarial" o Banco dos Pobres deve ser analisado como um case study, pois tem actualmente cerca de sete milhões de clientes e ao contrario da banca tradicional recupera cerca de 99% do crédito concedido, apesar de não exigir garantias patrimoniais ou pessoais aos seus clientes. Os empréstimos, embora pequenos, não são remunerados com juros e destinam-se a iniciar pequenas actividades empresariais, que não só ajudam a tirar a família da miséria como ainda contribuem para o desenvolvimento económico e social da região. Todo o sistema do microcrédito é simples e decorre do conceito de "economia solidária" que vê o homem e a mulher como um fim, como a finalidade, a meta e não como um mero meio ou instrumento da actividade económica. A finalidade da economia é servir o homem e não o capital, o lucro, a acumulação sôfrega e gulosa, nunca satisfeita, da acumulação do capital. Porque tirar as pessoas da miséria, dar-lhes condições para tomarem o seu destino nas mãos, sem depender da esmola, ajudá-las a vencer a fome pelo seu próprio esforço, promove a justiça social e o desenvolvimento económico e contribui para a paz que é fruto da justiça, o Professor Yunus e Grameen Bank vão receber o Prémio Nobel da Paz. Eles são o exemplo vivo de que "a solidariedade é o novo nome da paz"!