Para além do reboco das paredes exteriores e interiores já quase concluido, as obras contemplam ainda a renovação de todo o telhado que vai ser levantado, bem como a demolição de algumas paredes interiores, o que permitirá que a igreja volte a ter três naves, ao invés de uma só como acontecia até agora. Uma das salas anexas, do lado esquerdo, que até agora servia como casa mortuária irá acolher o futuro Museu de Arte Sacra. Com uma porta independente para o exterior, o núcleo museológico irá conter peças, propriedade da comunidade, como alfaias liturgicas, paramentos e fragmentos de talha, que entretanto estavam em espaços inacessíveis aos visitantes. Uma consequência desta intervenção será a ainda a criação de condições para o acesso à igreja de pessoas com limitações físicas. Através da abertura de uma nova porta lateral, que também facilitará o escoamento dos fiéis, a igreja ficará dotada com condições para receber todos, quantos pretendam ter acesso ao seu interior. As obras, orçamentadas em 384 mil euros e financiados pelo ProAlgarve e pela Câmara Municipal de Tavira, vão contemplar igualmente a instalação de novo sistema eléctrico e esgotos, bem como a construção de uma casa de banho. As obras têm um prazo de execução de 12 meses e enquanto estiverem impossibilitados de celebrarem a Eucaristia na igreja paroquial, os paroquianos irão reunir-se, nos segundos e quartos domingos de cada mês, no salão dos Bombeiros e, para a celebração da Palavra, nos primeiros e terceiros, no espaço de Formação e Cultura do Centro Paroquial de Cachopo, a antiga escola primária. Obra do Centro de Convívio da Feiteira vai arrancar A obra do Centro de Convívio da Feiteira (CCF), que no futuro funcionará como um pólo do Centro Paroquial de Cachopo, arranca no próximo dia 2 de Maio. O objectivo do é apoiar também, de forma mais directa, os habitantes de Mealha, Vale João Farto e Relvais, sobretudo os idosos. Será ainda criado uma Espaço Internet, uma Escola de Artes e Ofícios e uma Biblioteca/videoteca. O CCF disponibilizará ainda estudo acompanhado e ensino recorrente de inglês, informática e primeiro ciclo, com vista também à alfabetização da população, bem como a promoção de jogos tradicionais e o incentivo ao voluntariado no apoio aos mais idosos. A readaptação de um edifício que já existia custará 78 mil 400 euros e será financiado pelo PIDACC no valor de 40 mil 660 euros e o restante pela Câmara Municipal de Tavira, tendo um prazo de execução de 5 meses.