Inicio / Noticias / OS PRIMEIROS DIAS EM TIMOR

OS PRIMEIROS DIAS EM TIMOR

A um nível mais político, este povo tem uma atitude que me deixa um pouco triste. São um povo simpático, muito acolhedor, porém a maior parte das pessoas vive desempregada e não faz nada para mudar de situação, antes pelo contrário. Um claro exemplo foi o que aconteceu numa pequena tipografia pertencente à diocese de Baucau, e que é gerida por um antigo colega meu. Os empregados desligaram um dispositivo, para que não fosse possível haver luz, nem que o gerador eléctrico trabalhasse. Fizeram isso porque assim sabiam que não havendo luz, não trabalhavam e podiam jogar às cartas durante o dia todo, ganhando à mesma o salário mensal. Penso que esta atitude de alguma parte do povo timorense deve-se a uma promessa feita pela resistência durante a luta pela independência. A resistência prometeu que quando Timor fosse independente, ninguém mais precisava de trabalhar. Alguma da inércia e falta de ambição das pessoas também se nota nos políticos. Parece-me que os únicos timorenses que verdadeiramente estão interessados numa mudança próspera do país, são aqueles que estudaram e viveram fora dele durante alguns anos. Os outros não sentem essa necessidade, porque não sabem que vivem no linear da pobreza. Nasceram, viveram e provavelmente vão morrer assim.Estas são as primeiras impressões que estou a ter de Timor-leste, no outro lado do mundo. Prometo continuar a dar notícias, sempre que for possível e enquanto por cá ficar.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …