Inicio / Noticias / Pároco de Ferragudo lamenta falta de apoio para construção de Centro Paroquial e Museu

Pároco de Ferragudo lamenta falta de apoio para construção de Centro Paroquial e Museu

O sacerdote revela então um sonho que alimenta e garante mesmo que «a paróquia está disposta a ceder o terreno anexo à igreja para a construção de um centro paroquial com núcleo museológico incluído», uma vez que a comunidade possui várias peças com interesse histórico-turístico. Para o padre Joaquim Soares, esta seria uma solução global para as principais carências da comunidade paroquial: a falta de espaços para a catequese e a necessidade de acolhimento aos turistas.Segundo garante o sacerdote, que afirma não ter a paróquia «salas condignas para se fazer catequese», «passam pela igreja (que está aberta todo o dia) mais de 100 turistas por dia». O pároco, que reclama apoio por parte das «entidades competentes», reconhece não existirem condições para mostrar aos visitantes o património paroquial. «Não trago os turistas cá dentro porque tenho medo que desapareça alguma peça» – confessou, acrescentando que pretende «inventariar tudo» para salvaguardar uma situação dessas.Para além de reclamar apoio por parte das entidades competentes, o padre Fernando Soares acrescenta ainda que, apesar do interesse que a Câmara Municipal do Portimão e a Junta de Freguesia de Ferragudo dizem ter na construção do centro paroquial e museu, nunca viu qualquer projecto.Segundo o padre Fernando Soares, que se encontra na paróquia de Ferragudo há 3 anos, todo este património encontrava-se «amontuado» e em condições menos dignas, tendo levado o último ano a recuperar tudo. Entre as peças recuperadas que a paróquia gostaria de expor para a contemplação dos visitantes encontra-se um fragmento de uma pequena coluna, em pedra, que, de acordo com o sacerdote, «deverá ser dos finais do século XIV». Na peça consegue-se indentificar, de um dos lados, Jesus crucificado e, do lado oposto, uma representação da Virgem com o Menino ao colo. Existem também peças de imaginária em madeira que se pensa serem originárias dos séculos XVII e XVIII. Os pais de Nossa Senhora, São Joaquim e Sant’Ana, a própria Virgem Maria e uma representação do Senhor do Horto (utilizada em tempos nas procissões da Semana Santa) são algumas das imagens recuperadas. A paróquia possui ainda um conjunto de 8 ex-votos referentes a Nossa Senhora do Rosário, sendo que o mais antigo remonta a 1774 e os restantes são século XIX. Para além destes documentos foram encontrados outros com data do século XVIII. Segundo o pároco, a exposição museológica poderia incluir igualmente uma secção de paramentaria, uma vez que foi também recuperada uma colecção de paramentos antigos. Entre as peças restauradas encontram-se ainda três lustres que em tempos terão servido para iluminar a igreja e que o padre Joaquim Soares desconfia «serem de Cristal da Boémia».João Avelino, pescador aposentado, paroquiano de Ferragudo e entusiasta da ideia de criação de um museu na paróquia de tradição piscatória, não hesita em afirmar que doaria toda a colecção de miniaturas de bacalhoeiros e outras embarcações por si realizadas para enriquecer o conteúdo da exposição.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …