“Particularmente o Carvoeiro que, ao longo de todo o ano, é visitado por estrangeiros”, especifica D. Manuel Quintas com recurso a um exemplo que conheceu na semana que passou. “A escola de Alfanzina apesar de ter só 10 alunos, conta com 5 nacionalidades diferentes. Por aí já vemos a diversidade cultural das pessoas que vivem nesta zona, particularmente na freguesia do Carvoeiro”, concretiza. Embora reconheça que “as respostas nem sempre são as desejáveis” no que se refere ao acolhimento dos estrangeiros, o Bispo diocesano garante: “procuramos que sejam pelo menos as possíveis, tendo em conta sempre a realização da missão da Igreja”.