Dedicado a São Paulo, apóstolo caminheiro, o núcleo museológico encontra-se numa pequena sala do primeiro andar das traseiras da igreja paroquial, cuja entrada se faz pela lateral. Com a maioria das peças originárias dos séculos XVII e XVIII restauradas pela mão do mestre José Manuel Domingos, o museu paroquial é composto sobretudo por exemplares de imaginária e paramentaria, tendo expostas algumas alfaias litúrgicas. Para além da imagem do Ressuscitado e da Virgem Maria, também estão expostas imagens da mártir Santa Luzia e de São Cristóvão. O padre Luís Gonzaga explicou que “o principal objectivo do museu é evangelizar”. “A arte religiosa cristã é um suporte para a oração e um instrumento de transmissão da fé. Conservando, enriquecendo e dando a conhecer através deste museu o rico património que nos legaram e que adquirimos, queremos promover a cultura e sobretudo evangelizar”, elucidou o pároco, considerando que “as pessoas, em contacto com as obras de arte católicas, poderão certamente elevar-se espiritualmente”. Por outro lado, o sacerdote explicou que a paróquia procurou, através da criação daquele museu, associar-se às comemorações do segundo centenário da restauração da cidade de Olhão que este ano se assinala. Aberta ao público todos os dias, excepto ao domingo, com horário ainda por definir, a nova exposição deverá abrir portas de manhã, das 10 às 12 horas, reabrindo à tarde depois das 14 horas por mais algum tempo. Os visitantes deverão ter de despender um euro, embora o valor do ingresso ainda esteja por definir. Reconhecendo a limitação da actual sala, tendo em conta o numeroso grupo de peças expostas, o padre Luís Gonzaga sublinha a necessidade de alargar a mostra a uma segunda sala, possibilitando a exposição de muitos exemplares, sobretudo ao nível da paramentaria e da pintura, ainda não patentes ao público. Mais fotos na Galeria de Imagens