Inicio / Noticias / Paróquia destinatária das renúncias quaresmais algarvias é comunidade necessitada

Paróquia destinatária das renúncias quaresmais algarvias é comunidade necessitada

A comunidade paroquial actualmente é constituída por 7 centros pastorais, cada um com a sua capela, o­nde os Missionários procuram ir celebrar a Eucaristia e fazer todo o trabalho de animação e formação cristã. Na vila do concelho está situada a igreja paroquial, o­nde se concentra a maior parte da população, pelo facto de se encontrarem aí os vários serviços à população. A paróquia de São Miguel já tem uma longa tradição na diocese, em que as suas instalações físicas, concretamente a residência e o salão paroquial se encontram em estado de degradação avançada. Inclusivamente o salão já não está a funcionar pelo facto de as placas de cimento terem já ruído e constituir, assim, um perigo para os transeuntes. Não existem salas de catequese, nem espaços para se fazerem reuniões de formação. A catequese é dada ao ar livre ou então nas próprias casas dos catequistas. Na residência paroquial, os espaços estão a degradar-se de dia para dia. Os missionários procuram lutar contra isso, a fim de ainda, poderem aí residir, apesar das condições precárias e exíguas. Actualmente a paróquia conta com uma equipa de 3 sacerdotes missionários e um seminarista: o pároco, padre António Luís Marques de Sousa, natural da Guarda, o padre Nuno Miguel da Silva Rodrigues, natural de Leiria, o padre Crisógono Amanze, natural da Nigéria e o seminarista estagiário João Paulo, natural de Braga. «Como os nossos cristãos são pobres, não tendo condições para apoiar na íntegra este projecto, sentimos a necessidade de recorrer a apoios de fora, de instituições de solidariedade para podermos não só sonhar, mas realizar este projecto», afirmam os sacerdotes missionários, que antecipadamente agradecem a solidariedade do povo algarvio para a realização do seu projecto missionário.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …