À noite, a ‘Marcha pela Paz’ teve início na Santa Casa da Misericórdia e terminou no espaço envolvente à igreja onde o palco montado serviu de púlpito às diversas intervenções que por ali passaram. Em representação do Bispo do Algarve, a realizar a visita pastoral a Armação de Pêra e Porches, o vigário geral da diocese, padre Firmino Ferro, antes de acender o círio que viria a encabeçar a caminhada nocturna, nas tochas trazidas pelos jovens participantes da ‘Estafeta pela Paz’, referiu-se às “situações que existem ainda no mundo em que há ausência de felicidade”. “A paz é essencial para que haja felicidade”, afirmou o padre Firmino Ferro. Também Carlos Oliveira, presidente da Caritas algarvia, no seu discurso começou por lembrar tantas situações de ausência de paz ainda hoje existentes em inúmeras partes do planeta (enumeradas pelo Papa Bento XVI na sua Mensagem para o Dia Mundial da Paz que se celebra uma vez mais a 1 de Janeiro de 2007 – ver página 2), motivadas por situações de guerra, de injustiça, de fome, violência, entre outras. Aquele responsável sublinhou dois valores indispensáveis à concretização da paz. “A justiça, em primeiro lugar, porque não pode haver paz verdadeira se não pelo respeito da dignidade das pessoas e dos povos, dos direitos e deveres de cada um na distribuição quantitativa dos benefícios e das responsabilidades entre os indivíduos e a colectividade”, afirmou Carlos Oliveira, referindo-se de seguida ao segundo valor. “Perdão, porque a justiça humana está exposta à fragilidade e ao limites do egoísmo de cada um e da sociedade em si. Somente o perdão cura as feridas dos corações, onde a paz começa e restabelece profundamente as relações entre as pessoas”, complementou o presidente da Caritas, advertindo, no entanto, que “este é um caminho longo a percorrer”. “A paz exige de cada um de nós, um estado de espírito e uma vontade, uma mudança de coração isentos de ira, de desconfiança e, de um modo geral, de tudo quanto é sentimento negativo, tornando-a desejada por cada pessoa para si próprio e para os outros, passando a ser objectivo de vida”, acrescentou Carlos Oliveira, salientando algumas “atitudes efectivas que combatam as situações de instabilidade, de miséria, que se apresentam no mundo, nas famílias e no íntimo de cada um”. “Torna-se necessário destruir as barreiras do ódio, da inveja, ser tolerantes por forma a não causarmos injustiças sociais e pessoais. Torna-se necessário assumir um compromisso étnico e pessoal dos direitos humanos, do nascimento à morte, evitando injustiças insanáveis. Torna-se necessária uma educação para os valores da paz, compreendendo a dinâmica do seu sentido e alicerçando em profundidade esses mesmos valores. Neste tempo conturbado em que a sociedade nos apresenta modelos de autoritarismo, corrupção, ignorância e violência, a paz, a tolerância e a solidariedade são pilares a estar sempre presentes no dia-a-dia das nossas vidas, assumindo a responsabilidade de mudar o rumo do presente e perspectivar a esperança para as novas gerações”, realçou Carlos Oliveira. Por fim, o presidente da Caritas do Algarve, numa referência ao saudoso Papa João Paulo II, lembrou o apelo do Sumo Pontífice, em Assis, aos participantes no dia de oração pela paz. “A paz reside, de modo especial, na alma das novas gerações. Caminhai rumo ao futuro conservando alta a chama da paz”, citou. A noite continuou com a actuação de alguns grupos da paróquia de Boliqueime e do grupo de Santa Maria. Boliqueime A sensibilização na paróquia de Boliqueime começou com no dia 11 de Dezembro, com a visita dos alunos do 5º ano de EMRC – Educação Moral Religiosa Católica da escola local ao lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia. No dia 14, realizou-se um colóquio sobre a paz na Escola Básica Integrada Aníbal Cavaco Silva, pela professora Maria Esteves, com exposição de trabalhos dos alunos. No passado sábado, pela manhã teve início a exposição de trabalhos de crianças e jovens da escola e da catequese, seguindo-se “Oficinas da Paz” onde os mais novos discutiram o papel e o contributo que cada um deve dar em favor da paz. Pelas 16.30 horas iniciaram-se algumas actividades promovidas pelo agrupamento local do CNE – Corpo Nacional de Escutas e às 20.30 horas, os escuteiros conjuntamente com jovens de diversas associações juvenis realizaram uma “Estafeta pela Paz” que terminou na Misericórdia com a passagem do testemunho aos participantes da marcha pela paz. Paróquias de Portimão No âmbito desta iniciativa da Caritas, as paróquias da cidade de Portimão promoveram a campanha “Estrelas de Amor”, em ligação com a campanha de advento em curso, em que cada criança da catequese construiu e decorou uma estrela, manifestando nela o seu desejo de paz e de solidariedade, particularmente para com os idosos. No sábado, as crianças vieram, com os respectivos catequistas, à sua igreja paroquial pela manhã, trazendo as estrelas que foram colocadas no exterior do templo. Depois da missa vespertina, as pessoas juntaram-se no adro da igreja e nessa altura foi acendido um círio, a partir do qual foram-se acendendo as velas. Os jovens animaram a noite com cânticos e fizeram um jogral sobre o tema da campanha: “O Valor do Idoso no Mundo Contemporâneo”. A intervenção dos párocos relacionou este gesto de paz com a mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz. Alcoutim No sábado, dia 16 a comunidade paroquial reuniu-se para responder à iniciativa da Caritas. A marcha pela paz começou às 18.30 horas no Castelo, caminhando os participantes em silêncio com as velas até à Praça da República, onde foi realizado o presépio da vila. Participaram também cerca de 30 jovens do MSV – Movimento ao Serviço da Vida, que colabora no trabalho pastoral das paróquias de Alcoutim, Pereiro e Giões desde 1997, e que se encontravam na paróquia a realizar o seu fim-de-semana de convívio e planificação. Chegados à praça, os jovens fizeram uma pequena encenação relativa ao tema da solidariedade e a seguir todos depositaram as suas velas aos pés do presépio. Cachopo A paróquia de Cachopo começou os cantares de Natal pelo montes da freguesia no passado dia 16, uma actividade integrada na campanha “Dez milhões de estrelas – um gesto pela paz”. Simultaneamente foram sensibilizadas as pessoas para acenderem velas e fotofóros na noite do dia 24. Dia 23, à noite, terá lugar a Festa da Luz com uma celebração no largo da escola que contará com a actuação de um grupo musical de cânticos tradicionais. A sensibilização para a paz e solidariedade terminará no dia 6 de Janeiro com a actuação de charolas. Budens e Luz de Lagos No passado sábado, pelas 18 horas, no adro da igreja de Burgau (Budens), um grupo de crianças e adolescentes acompanhados pelas suas catequistas ‘gritaram’ a paz, em comunhão com a campanha “Dez milhões de estrelas – um gesto pela paz”. Foi a primeira vez que se realizou esta iniciativa na comunidade do Burgau, uma vez que a paróquia de Budens, nos dois últimos anos, tem realizado a iniciativa na “Boca do Rio”. Por sua vez, a paróquia da Luz de Lagos saiu, este ano, do espaço marítimo e subiu até Espiche. No largo perto da igreja, através de música, apresentações projectadas, poesia e representação teatral, as crianças da catequese e os futuros escuteiros do agrupamento em formação manifestaram-se pela paz. “Palavras só não bastam….”, cantaram. Ferreiras A paróquia das Ferreiras irá promover uma celebração no adro da igreja, integrada na Missa do Galo, às 20 horas sobre a campanha da Caritas. O pároco tem igualmente sensibilizado os paroquianos para colocarem às janelas, no dia 24, as velas adquiridas. Quarteira A paróquia realizou, no passado dia 14 de Dezembro, uma celebração em torno da campanha “Dez milhões de estrelas – um gesto pela paz” na igreja de São Pedro do Mar com a participação de 300 crianças da escola EB 2.3 com o mesmo nome. Foram ainda sensibilizados os paroquianos para a questão da paz e vendidas as velas para acenderem na noite do dia 24. Outras paróquias que aderiram à campanha Adquiriram igualmente velas e fotofóros e sensibilizaram as pessoas para acenderem as mesmas na noite de 24 de Dezembro, as paróquias de Alcantarilha, Luz de Tavira, São Clemente e São Sebastião de Loulé e São Pedro de Faro. Escola EB 2.3 Santo António – Faro Os alunos de EMRC – Educação Moral e Religiosa Católica voltaram a realizar o “Céu de Estrelas”, estrelas decoradas com mensagem alusivas à paz e ao Natal, que foram colocadas no corredor de acesso à sala dos professores. Também estes foram convidados a participar. Os estudantes foram ainda sensibilizados para um novo relacionamento com as pessoas de mais idade. Foram vendidas na escola cerca de 60 velas. Escolas EB 2.3 Professor Paula Nogueira – Olhão e Dr. António João Eusébio – Moncarapacho Também as professoras de EMRC das escolas EB 2.3 Professor Paula Nogueira, de Olhão e Dr. António João Eusébio, de Moncarapacho, promoveram a venda de velas e fotofóros junto dos seus alunos, sensibilizando-os para a questão da paz e da solidariedade e incentivando-os a acenderem-nos na véspera de Natal à noite. Escola EB 2.3 José Carlos da Maia – Olhão Os alunos do 5º ano, turma B, visitaram no passado dia 13 de Dezembro de manhã, a ACASO – Associação Cultural e de Apoio Social, no concelho de Olhão. Tendo interpretado três peças com flauta, os 25 alunos pintaram ainda com os utentes do Lar e Centro de dia da instituição os fotofóros que levaram. A terminar, os alunos foram convidados pela instituição a visitar uma exposição de trabalhos dos idosos. A iniciativa promovida pela professora de EMRC – Educação Moral e Religiosa Católica daquele estabelecimento de ensino, contou ainda com a colaboração e presença de duas professoras de EVT – Educação Visual e Tecnológica e EM – Educação Musical. Os estudantes irão agora realizar, na aula de EVT, um porta-retratos com a fotografia do idoso que “adoptaram” naquele dia para enviar para a ACASO.