Segunda-feira 14 de Outubro de 2019
Inicio / Noticias / Pe. Álvaro Campos celebrou Bodas de Ouro

Pe. Álvaro Campos celebrou Bodas de Ouro

Em São Brás de Alportel, uma das duas comunidades algarvias o­nde, desde 1984, desempenha funções de vigário paroquial, proporcionou-lhe uma homenagem no próprio dia 29 de Setembro, tendo-lhe oferecido, no decorrer da Eucaristia de acção de graças, uma placa comemorativa. São Martinho de Vale (Vila Nova de Famalicão), a cuja paróquia pertencia o padre Álvaro Campos desde a sua infância, também lhe preparou-lhe a outra homenagem, mas desta feita, no dia 9 de Outubro. Tendo como principal impulsionador o pároco actual, padre António Machado, a comunidade paroquial albicastrense organizou, à semelhança do que tinha acontecido aquando da Missa Nova do padre Álvaro Campos, uma festa de acção de graças a Deus. As ruas para a igreja paroquial foram ornamentadas com tapetes de flores, colocaram-se faixas para assinalar as Bodas de Ouro e foi ainda patente ao público uma exposição fotográfica com alguns dos principais momentos da vida do sacerdote. Para além da comunidade local estiveram presentes também os seus familiares e superiores, incluindo o padre Manuel Sabença, Provincial dos sacerdotes espiritanos. Natural da freguesia de São Tiago da Cruz (Vila Nova de Famalicão), o padre Àlvaro Campos foi ordenado em 1955 pelo saudoso Bispo de Portalegre-Castelo Branco, D. Agostinho de Moura. Os primeiros 10 anos esteve a leccionar no Seminário Diocesano de Silva Porto, hoje Kuito-Bié, em Angola, mas regressou a Portugal, por motivo de doença, tendo passado a exercer funções como professor. Leccionou nos Seminários de Fraião, em Braga, de Godim, na Régua, o­nde tinha sido aluno. Foi pároco na paróquia de Godim durante 8 anos e há 21 anos foi nomeado para colaborar com o pároco de São Brás de Alportel e de Santa Catarina da Fonte do Bispo. Em jeito de balanço destes 50 anos de dedicação à Igreja afirma ter “dois sentimentos profundos”. “Confiança na misericórdia do Senhor pelo joio que também semiei e gratidão pelo trigo que o Senhor semiou por mim”, concretiza. Com vista ao futuro afirma não tencionar sair do Algarve. “Estou muito contente aqui e não tenciono sair. Enquanto o Senhor me ajudar o futuro será aqui. E tenho muito gosto, muito prazer e muita alegria em estar em São Brás de Alportel”, esclarece.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …